Tecnologia inteligente 5G monitoriza qualidade do ar das cidades

Universidade de Helsínquia e laboratórios Bell da Nokia estão desenvolver tecnologia inteligente baseada em sensores e redes 5G para monitorar o ar das cidades. A recolha de dados permite melhorar o planeamento e o bem-estar dos cidadãos.

0
Tecnologia inteligente 5G monitoriza qualidade do ar das cidades. © DR

Tecnologia inovadora que usa a rede 5G para gerar dados precisos e inteligentes em tempo real sobre o meio ambiente e a qualidade do ar é desenvolvida pela Universidade de Helsínquia e os laboratórios Bell da Nokia.

Sasu Tarkoma, responsável pelo Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Helsínquia, indicou que especialistas finlandeses de alto nível, em ciências atmosféricas e de dados em comunicações 5G, estão a criar um sistema para monitorar a qualidade do ar no âmbito do projeto de cooperação interdisciplinar MegaSense.

O especialista da Universidade de Helsínquia referiu: “Podemos melhorar significativamente o sistema de monitorar a qualidade do ar, que por sua vez fornecerá dados cada vez mais precisos para a tomada de decisões.”

O objetivo do projeto MegaSense é criar um sistema de monitoração global que possa fornecer dados exatos sobre a qualidade do ar e sobre as substâncias nocivas em suspensão no ar. Os dados recolhidos podem vir a ser usados numa variedade de dispositivos: em carros, em casa ou no escritório.

“Também estamos trabalhar em aplicações móveis que vão permitir aumentar o bem-estar dos cidadãos através dos dados sobre a qualidade do ar”, referiu Sasu Tarkoma.

Monitorar globalmente a qualidade do ar

O projeto MegaSense consiste numa densa rede de sensores de qualidade do ar cobrindo uma área urbana para detetar poluidores do ar e ter uma visão geral da qualidade do ar em tempo real. Os dados dos sensores são complementados por outros dados das estações de investigação SMEAR da Universidade de Helsínquia na Finlândia e na China. Todos os dados são então combinados e processados ​​através da rede 5G.

O projeto utiliza modelos existentes de mapeamento e previsão da poluição do ar que também consideram a direção do vento e a localização dos sensores de qualidade do ar. Os dados de qualidade do ar são devidamente calibrados e as informações refinadas para poderem ser usados ​​numa variedade de aplicações, quase em tempo real.

Para o especialista da Universidade de Helsínquia “a oportunidade de atualizações em tempo real pode fornecer uma ideia de negócio para algumas empresas”, isto significa que a tecnologia “pode ser usada em planeamento urbano, ou em aplicações de saúde e bem-estar, bem como em produtos relacionados a ar condicionado, janelas inteligentes, em vários dispositivos móveis, aplicações de telemóveis e mapas HD.”

Uma das primeiras potenciais aplicações direcionada para o consumidor é o “Caminho Verde”, que oferece informações visuais sobre a qualidade do ar, indicou a Universidade.

Pequim é a cidade a monitorar

O primeiro teste piloto MegaSense está atualmente a decorrer no Campus Kumpula da Universidade de Helsinquia. Os sensores de qualidade do ar foram conetados à rede NetLeap/NDAC da Nokia como um serviço na cloud e o processamento de dados e o uso de aplicações ocorrem num servidor de cloud local.

O próximo teste piloto vai ser ter como palco Pequim, aí o objetivo, indica o especialista, é criar um extenso sistema de medição ambiental baseado na rede 5G para monitorar a qualidade do ar e o meio ambiente.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!