Tecnologia LED na iluminação pública: projetos na Figueira da Foz

Câmara Municipal da Figueira da Foz e Universidade de Coimbra envolvidas no projeto europeu PremiumLightPro. Aplicação de tecnologia LED na iluminação pública pode levar à uma diminuição de encargos anuais de 80%.

0
Tecnologia LED na iluminação pública: projetos na Figueira da Foz
Tecnologia LED na iluminação pública: projetos na Figueira da Foz. Foto: PremiumLightPro

A Câmara Municipal da Figueira da Foz (CMFF) tem vindo a melhorar os sistemas de iluminação pública e infraestruturas turísticas com o objetivo de uma maior eficiência energética. Os projetos de iluminação da Praia da Claridade e do Parque de Campismo Municipal são exemplos de intervenção que amentam a qualidade de iluminação e diminuem os custos energéticos.

Nestes projetos, a autarquia utilizou critérios muito restritos relativamente à eficiência dos componentes a utilizar nos sistemas de iluminação, e incluiu sistemas de telegestão. Um trabalho que já é fruto da colaboração no projeto europeu PremiumLightPro, em conjunto com a Universidade de Coimbra (UC).

O projeto PremiumLightPro é centrado na implementação de sistemas de iluminação LED (Light Emitting Diode) de elevada eficiência no setor dos serviços públicos e privados, em instalações de interior e exterior. Um projeto que é financiado pelo programa de investigação e inovação da Comissão Europeia, Horizonte 2020.

O PremiumLightPro reúne em consórcio vários centros de investigação e empresas da Áustria, Alemanha, Dinamarca, Espanha, Itália, Polónia, Portugal, República Checa e Reino Unido. O Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) é o parceiro português do projeto.

O projeto, que teve início em 2016, tem como principal objetivo “apoiar a implementação de soluções de iluminação LED de alta qualidade e eficiência através do desenvolvimento de instrumentos e serviços adequados”, esclareceu Carlos Patrão, investigador envolvido no projeto, citado em comunicado pela UC.

O investigador esclareceu ainda que as tecnologias de iluminação LED “oferecem uma ampla gama de aplicações assim como poupanças de energia elétrica muito significativas em diversas e variadas situações, desde escolas, ruas, parques de campismo e de estacionamento, parques infantis e edifícios administrativos, entre outros.”

A implementação dos projetos de iluminação da CMFF permitiu à autarquia uma diminuição dos encargos anuais com energia de 62.000 euros, e prevê continuar a implementar projetos de iluminação pública baseados em LED, podendo atingir poupanças até um milhão de euros, por ano, na fatura de energia elétrica.

Para o investigador Carlos Patrão os municípios, em Portugal, podem “economizar centenas de milhares de euros por ano em custos de energia elétrica, substituindo as atuais tecnologias usadas na Iluminação Pública (IP) por tecnologia LED. Alguns municípios poderiam economizar até 80% e muitos estão já a iniciar o processo de mudança.”

Mas as “substituições de tecnologia na IP nem sempre são efetuadas segundo critérios que garantam os princípios da eficiência energética e adequação ao uso. Como vem sendo habitual, a simples substituição de uma tecnologia existente por LEDs não garante, por si só, que se mantenham os níveis de serviço adequados e muitos projetos já implementados em Portugal têm tido resultados aquém do previsto”, alertou o investigador.

Para apoiar as diversas entidades nos projetos de eficiência energética baseados em tecnologia LED, o PremiumLightPro tem vindo a desenvolver um conjunto de guias técnicos e de critérios de aquisição de componentes, para fazerem parte dos cadernos de encargos, e desta forma garantir a implementação de soluções de iluminação com a qualidade adequada e que garantam verdadeiras e efetivas poupanças energéticas.

Atualmente já se encontram disponíveis diversos guias e recomendações no website do projeto que foram desenvolvidos em parceria com entidades na área da iluminação internacionais.

“Em todos os projetos de iluminação que temos implementado no concelho da Figueira da Foz, tentamos sempre que sejam refletidos nos cadernos de encargos o que consideramos serem os critérios de eficiência energética mais adequados e que tenham em conta o uso final do sistema de iluminação” referiu o Gestor Municipal de Energia da CMFF, citado pela UC.

Os investigadores da UC envolvidos no projeto têm vindo a informar e a esclarecer, em reuniões com os municípios e empresas, sobre o recurso aos guias desenvolvidos no âmbito do PremiumLightPro para uma evolução para soluções, que incorporarem os melhores critérios na definição e implementação de projetos de iluminação.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!