Tratamento do cancro do cérebro tem apoio da UE

Financiamento de 35 milhões de euros do BEI à empresa MagForce vai permitir aumentar o desenvolvimento da terapêutica ‘NanoTherm’, de tratamento de tumores sólidos do cérebro, e estender o tratamento a toda a Europa.

0
1
Partilhas
NanoTherm, tratamento dos tumores sólidos cerebrais
NanoTherm, tratamento dos tumores sólidos cerebrais. Foto: © MagForce

As pessoas que sofrem do mais agressivo cancro do cérebro, o glioblastoma, irão beneficiar proximamente de um acesso mais alargado a uma nova forma de tratamento devido a financiamento do Banco Europeu de Investimento (BEI) inserido no designado Plano Juncker para a União Europeia (UE).

O Banco Europeu de Investimento e a MagForce, uma empresa alemã especializada em dispositivos médicos, assinaram um acordo de financiamento de 35 milhões de euros para desenvolver um novo método de tratamento localizado de tumores sólidos.

O método desenvolvido pela MagForce baseia-se no princípio da introdução de nanopartículas magnéticas diretamente num tumor e, em seguida aquecidos por um campo magnético alternativo. Dependendo da duração do tratamento e das temperaturas atingidas dentro do tumor, as células tumorais são irreparavelmente danificadas ou tornadas mais sensíveis aos efeitos da quimioterapia ou radioterapia.

A abordagem terapêutica ‘NanoTherm’, desenvolvida pela MagForce, permite combater o tumor de dentro, mantendo o tecido circundante saudável, pelo que os efeitos colaterais do tratamento são significativamente inferiores aos dos métodos atualmente utilizados. A terapia ‘NanoTherm’ exibe um alto grau de eficácia já comprovado em estudos clínicos. A terapia recebeu aprovação regulamentar para tratar o cancro do cérebro na Europa, e pacientes já foram tratados com sucesso na Alemanha.

O financiamento do BEI vai apoiar o lançamento da ‘NanoTherm’ em toda a Europa para o tratamento do cancro cerebral. Além disso, a instalação apoiará a aprovação europeia e global para o cancro da próstata, que é outra condição oncológica, que pode ser tratada com a terapia ‘NanoTherm’.

A MagForce está trabalhar em nanopartículas da próxima geração, que para além de gerarem calor, podem também ser usadas como mecanismos de transporte de fármacos.

Ambroise Fayolle, vice-presidente do BEI e responsável pelas operações na Alemanha, referiu que se estima que “mais de 20 milhões de pessoas em todo o mundo sejam doentes de cancro em 2030, o que corresponde a um aumento de 50% em relação aos níveis de 2012″.

Para o vice-presidente do BEI “a terapia desenvolvida pela MagForce tem o potencial de aliviar consideravelmente o fardo para alguns desses doentes”, e por isso referiu: “Estou orgulhoso que o apoio do BEI possa realmente ajudar a salvar as vidas das pessoas.”

Ben Lipps, diretor executivo da MagForce, referiu que “o empréstimo aumentará significativamente a posição financeira da empresa e ajudará a implementar a terapia ‘NanoTherm’ da MagForce em toda a Europa. Também apoiará o desenvolvimento e a comercialização global de soluções de cancro da próstata e a próxima geração da ‘NanoTherm’ da MagForce”.

Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão Europeia, e responsável por Emprego, Crescimento, Investimento e Competitividade, referiu que “a Comissão Europeia está empenhada em promover o investimento em investigação e inovação”, e neste caso “contribuir para o desenvolvimento de novos tratamentos para pacientes com cancro.”

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz