Turismo da Região de Lisboa considera insuficientes as medidas para recuperar o setor

As atuais medidas para a recuperação do turismo são consideradas insuficientes pela Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa. É exigido, entre outras medidas, a abertura de todas as atividades sem restrições de horários ou lotações e isenção de taxas às esplanadas.

0
Turismo da Região de Lisboa considera insuficientes as medidas para recuperar o setor
Turismo da Região de Lisboa considera insuficientes as medidas para recuperar o setor

É preciso implementar mais medidas de apoio ao tecido económico do setor do turismo e é urgente avançar com as propostas já apresentadas pela Associação Turismo de Lisboa, defende a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa (ERT-RL).

Para a ERT-RL a crise pandémica tem sido devastadora e por isso é necessário assegurar a força de trabalho qualificada e os serviços essenciais para garantir a boa experiência de quem visita a região, pelo que considera indica como essencial que:

  1. Todas as atividades possam ser abertas, sem restrições de horários ou lotações, dado o avanço do processo de vacinação, a massificação dos testes e o conhecimento adquirido no combate à pandemia.
  2. A isenção de taxas às esplanadas se prolongue até ao final da pandemia e que os cafés e restaurantes possam transforma as esplanadas provisórias em permanentes.
  3. Sejam postas em prática as medidas reclamadas pelas associações setoriais e pela CTP, às quais o governo já se comprometeu a dar respostas, com vista a preservar o tecido económico do Turismo, a assegurar o emprego e a evitar que a força de trabalho se afaste da atividade turística, comprometendo a sua recuperação futura.
  4. Se mantenha o apoio à retoma até abril de 2022, a todas as empresas com quebras de vendas acentuadas como forma de ajudar o emprego ativo, os apoios à tesouraria e à capitalização das empresas, permitindo a recuperação económica das empresas e a oportunidade de formação profissional.
  5. Se mantenha e alargue os apoios concedido pelo programa “Lisboa Protege” da CML, essencial para a resistência à atual crise.
  6. Se encontre e inicie a implementação de uma solução adequadas para a questão aeroportuária, dado que 90% dos visitantes de Lisboa acedem ao destino por via aérea.

Para a ERT-RT o prolongamento da crise pandémica está a colocar o tecido económico do Turismo em Lisboa em risco de colapso e que é fundamental preservar os requisitos estruturais do tecido económico do Turismo para que o setor possa retomar o seu papel determinante na recuperação e desenvolvimento económico do País.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!