Ubuntu United Nations presidida por José Ramos-Horta vai formar promotores de paz

Iniciativa Ubuntu United Nations criada pela Academia de Líderes Ubuntu do Instituto Padre António Vieira vai formar jovens de todos os países da Organização das Nações Unidas como líderes promotores de paz. A iniciativa é presidida por José Ramos-Horta.

0
Ubuntu United Nations presidida por José Ramos-Horta vai formar promotores de paz
Ubuntu United Nations presidida por José Ramos-Horta vai formar promotores de paz

A Academia de Líderes Ubuntu, um projeto desenvolvido pelo Instituto Padre António Vieira (IPAV), lança a Ubuntu United Nations (UUN). Uma iniciativa que pretende dar voz a uma nova geração de jovens líderes, de todos os continentes, para que se comprometam com a promoção da paz, da equidade e da construção de um futuro mais solidário.

O objetivo da UUN é capacitar futuros líderes, que adiram ao valor do serviço aos outros, que saibam construir pontes em vez de muros e que se inspirem numa ética do cuidado, para consigo, para com a sua comunidade e para com o Planeta, é o objetivo deste projeto que acredita na humanidade e no seu destino interdependente.

O projeto vai permitir reunir jovens provenientes dos 193 países com assento na Organização das Nações Unidas (ONU) – cerca de três jovens por país, com idades compreendidas entre os 18 aos 35 anos –, que partilhem um forte compromisso em servir as suas comunidades e o bem comum.

Para a participação as inscrições já estão abertas e terminam a 30 de junho, e no Dia Internacional Nelson Mandela, a 18 de julho, serão conhecidos os participantes selecionados.

“Construir pontes: estimular a ação dos jovens através da unidade na diversidade” é o lema da primeira edição da UUN, que, entre 24 de outubro, Dia das Nações Unidas, e 19 de dezembro, Dia Internacional da Solidariedade Humana, se desenvolverá em cinco seminários temáticos: Liderar como Mandela, Construir Pontes, Vencer Obstáculos, Vidas Ubuntu e I Have a Dream.

Cada um dos seminários contará com a participação de convidados especiais, incluindo vários laureados com o Prémio Nobel da Paz, como Kailash Satyarthi, Leymah Gbowee, Muhammad Yunus e José Ramos-Horta, entre outros líderes mundiais distinguidos pelo seu trabalho por um mundo mais justo.

O projeto – que será presidido por José Ramos-Horta e que conta, ainda, com o alto patrocínio do Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e com a participação do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres – será realizado a cada dois anos e pretende transmitir o legado de grandes líderes como Nelson Mandela às novas gerações, inspirando-as, através de um programa de mentoria intergeracional. O compromisso com a paz, a justiça social, a cultura de cooperação, a defesa dos direitos humanos e a promoção do desenvolvimento sustentável serão algumas das temáticas do programa.

Globalização digital abriu a porta ao diálogo internacional

A Ubuntu United Nations foi oficialmente apresentada durante o E-Congresso Mundial de Líderes Ubuntu, encontro online que juntou jovens líderes de mais de 91 países e também personalidades como António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, António Vitorino, diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações, José Ramos-Horta, Prémio Nobel da Paz, e Marcelo Rebelo de Sousa. Philip Zimbardo, Erin Gruwell, David Livingstone Smith, Ruy Santos e Ubiraci Pataxó foram outras das figuras que participaram no evento em que foram debatidas questões tão diversas como a desumanização, o conflito em Cabo Delgado, o papel dos heróis do quotidiano, as migrações, a importância da educação inclusiva ou, até mesmo, a luta dos povos indígenas.

O encontro foi promovido pela Academia de Líderes Ubuntu, que foi fundada em 2010, em Portugal, pelo Instituto Padre António Vieira, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, organização que, através da Ubuntu Global Network, já envolveu mais de 12 mil jovens líderes, provenientes de mais de 50 países, no desenvolvimento dos valores de liderança servidora, ética de cuidado e construção de pontes. Inspira-se em pessoas de referência de renome mundial, nomeadamente Nelson Mandela, Martin Luther King, Madre Teresa de Calcutá, Gandhi e Malala. O desafio que a pandemia colocou a todos acabou por possibilitar uma verdadeira globalização digital, tendo criado a oportunidade que permite aos jovens interagir, dialogar e trabalhar a uma escala global.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!