Vindimas na Adega de Portalegre indicam vinhos com maior qualidade

Vindimas em curso na Adega de Portalegre Winery mostram uma menor produção por videira e ao mesmo tempo uma melhor qualidade de vinho. Com a aquisição, em 2018, da Quinta do Seixo a Adega permite-lhe manter a qualidade e a quantidade de vinho.

0
Vindimas na Adega de Portalegre indicam vinhos com maior qualidade
Vindimas na Adega de Portalegre indicam vinhos com maior qualidade. Foto: DR

A primeira fase da campanha de 2019 na Adega de Portalegre Winery (APW) já foi concluída, com o fim da vindima das castas de brancos, e a campanha de tintos deve terminar no fim de setembro. Mas o andamento da vindima leva João Gabriel, responsável pela APW, a afirmar que as perspetivas são de uma vindima de maior qualidade.

João Gabriel referiu, citado em comunicado da APW, que “a campanha de 2019 é marcada por um fenómeno, muito relacionado com os dois últimos anos, verões muito quentes e secos, em que algumas videiras se protegeram e produziram menos uva. Se por um lado algumas castas terão menos produção, por outro lado, o esforço das videiras está mais concentrado, pelo que este será um ano de qualidade superior”.

A quantidade de vinho, mesmo com uma menor produção, não irá reduzir na APW, devido ao investimento feito no fim de 2018, com a aquisição da Quinta do Seixo, como esclareceu o responsável pela Adega, ao referir que foi aumentada significativamente “a área de vinha própria e, além disso, conseguimos fechar mais contratos com pequenos produtores locais, que nos permite aumentar a quantidade de uva recebida”,

A Quinta do Seixo permite “aumentar a quantidade de produção de uva, mantendo as características diferenciadoras, devido à mesma influência da Serra de São Mamede”.

Os solos graníticos e xistosos da Serra de São Mamede, onde nasceram as vinhas, fragmentadas em pequenas parcelas espalhadas pelas encostas, são percorridos por quem bem os conhece, ao mesmo tempo que as mãos experientes colhem as uvas, depois transformadas em vinho, continua a ser um ciclo de vida que torna a APW uma marca de qualidade nos vinhos de toda a região.

Há uma distinção marcante do restante Alentejo que não é só o solo, mas as castas, a altitude e a idade das vinhas. Um conjunto de caraterísticas que prometem “uma colheita à altura dos amantes do que de melhor se produz em termos de vinhos no País, com uma qualidade reconhecida nacional e internacionalmente”.

Após a fase de receção e vinificação das uvas, segue-se a fermentação para seleção de lotes para cada uma das referências da APW – Terras de Baco, Conventual, Conventual Reserva e Portalegre, e como referiu o responsável da Adega, “este acompanhamento terá que ser muito apertado, para ter a certeza que o vinho está a evoluir corretamente e selecionar os melhores lotes para estagiar em barricas de carvalho francês”.

“No final da primavera de 2020 contamos ter já alguns lotes dos nossos brancos mais leves a sair para o mercado, sendo que os tintos ainda deverão demorar mais um pouco” concluiu João Gabriel.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!