Aplicação para smartphone permite avaliar o risco de coronavírus

Investigadores estão a desenvolver uma aplicação para smartphone com Inteligência Artificial capaz de avaliar o risco de coronavírus. A APP recolhe dados do utilizador e envia-os para a Unidade de Saúde para esta as medidas adequadas face à primeira avaliação.

0
Aplicação para smartphone permite avaliar o risco de coronavírus
Aplicação para smartphone permite avaliar o risco de coronavírus.

Uma aplicação para smartphone (APP) associada a Inteligência Artificial vai permitir em breve que qualquer pessoa possa fazer, num minuto, uma avaliação de risco do coronavírus, em casa, com base no estado de saúde, a informação é direciona para a unidade de saúde para um teste definitivo.

A aplicação também vai ajudar a fornecer às autoridades locais e de saúde pública informações, em tempo real, sobre dados demográficos com maior risco de coronavírus, para que as autoridades possam direcionar melhor as iniciativas de prevenção e tratamento, escreveram os investigadores do Medical College of Georgia na revista Infection Control & Hospital Epidemiology.

“Queremos ajudar a identificar as pessoas com alto risco de coronavírus, ajudar a acelerar o acesso à triagem e à assistência médica e reduzir a propagação desta doença infeciosa”, referiu Arni SR Srinivasa Rao, diretor do Laboratório de Teoria e Matemática Modelagem na Divisão MCG de Doenças Infeciosas da Universidade de Augusta e autor correspondente do estudo.

Arni SR Srinivasa Rao e Jose Vazquez, chefe da Divisão MCG de Doenças Infeciosas e coautor do estudo, estão a trabalhar com programadores para finalizar a APP, que deve estar disponível dentro de algumas semanas. A aplicação vai ser gratuita para tratar de um problema de saúde pública.

A aplicação vai recolher dados das pessoas como morada, sexo, idade e raça e sobre eventual contato recente com pessoas infetadas com o coronavírus ou se viajou para áreas como a Itália ou a China, com uma incidência relativamente alta da infeção viral, nos últimos 14 dias.

Outros dados a recolher são sobre sintomas comuns de infeção e sua duração, incluindo febre, tosse, falta de ar, fadiga, produção de espirros, dor de cabeça, diarreia e pneumonia. Mas também vai permitir recolher informações semelhantes de outras pessoas que morem na mesma casa e que não consigam preencher a sua própria informação.

A inteligência artificial vai usar um algoritmo desenvolvido por Arni SR Srinivasa Rao para avaliar rapidamente as informações do indivíduo, e enviar uma avaliação de risco: sem risco, risco mínimo; risco moderado ou risco alto. A APP alertar a unidade de saúde mais próxima para uma melhor verificação de saúde. Se o paciente não puder deslocar-se, a unidade de saúde mais próxima será notificada da necessidade de enviar uma equipa de saúde móvel.

As informações recolhidas de vários indivíduos vai ajudar na identificação rápida e precisa de regiões geográficas, incluindo cidades, vilas e aldeias, onde o vírus está a circular, e o risco relativo nessa região para que os serviços de saúde possam preparar melhor os recursos necessários, referiu diz Arni SR Srinivasa Rao. Uma informação que também ajudará os investigadores a ter um melhor conhecimento sobre como o vírus está a espalhar-se.

Para os investigadores é imperativo que sejam avaliados novos modelos na tentativa de controlar o coronavírus que está a espalhar-se rapidamente, e a tecnologia pode ajudar na identificação mais rápida de possíveis casos e ajudar na intervenção,

A APP de coronavírus pode ser facilmente adaptada para outras doenças infeciosas. A acessibilidade e a rapidez da aplicação, juntamente com a inteligência artificial, também podem ser utilizadas para triagem em locais com grande número de pessoas, como grandes eventos desportivos.

“Estamos a tentar diminuir a exposição das pessoas doentes a pessoas que não estão doentes”, referiu Vazquez, e acrescentou: “Também queremos garantir que as pessoas infetadas obtenham um diagnóstico definitivo e recebam os cuidados de saúde que necessitam”.

Os investigadores esperam que com este método para avaliar o risco de um indivíduo ajude a conter qualquer pânico em desenvolvimento ou preocupação indevida com o coronavírus, ou COVID-19.

“As pessoas não terão que esperar que os hospitais as examinem diretamente”, referiu diz Arni SR Srinivasa Rao, e acrescentou: “Queremos simplificar a vida das pessoas e acalmar suas preocupações, obtendo informações diretamente para essas pessoas”.

Se a preocupação com o coronavírus levar muitas pessoas a aparecer em hospitais, muitas destas com casos de gripe, isso vai sobrecarregar ainda mais as unidades hospitalares e aumentar a exposição potencial as outras pessoas.

Quando a App estiver disponível a sua distribuição vai ser feita através do site augusta.edu e provavelmente pelas lojas de aplicações nas plataformas iOS e Android.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!