Capacetes azuis portugueses na República Centro-Africana recebem louvor

Militares portugueses em missão de paz das Nações Unidas na República Centro-Africana foram distinguidos com louvor, por operação em Bambari, pelo Comandante da Missão Multidimensional Integrada de Estabilização.

0
1
Partilhas
Capacetes azuis na República Centro-Africana
Capacetes azuis na República Centro-Africana. Foto: DR

O contingente militar português que integra a missão de paz das Nações Unidas na República Centro-Africana (RCA), desde finais de janeiro de 2017, foi distinguido com louvor pelo Comandante da Missão Multidimensional Integrada de Estabilização (MINUSCA), Tenente-general Balla Keita.

O Comandante da MINUSCA reconheceu o “profissionalismo e empenho” do contingente português, que constitui a força de reação rápida da missão, pela operação levada a cabo nos últimos dias na cidade de Bambari, com o objetivo de proteger a população civil e libertar a cidade dos conflitos e da influência de grupos armados.

O reconhecimento da “prontidão operacional e do excelente desempenho” na operação em Bambari, como é sublinhado pelo Comandante da Força na sua carta de louvor, constitui, sem dúvida, motivo de grande satisfação e de orgulho não só para os 160 capacetes azuis que compõem o contingente português e suas famílias, mas também para as Forças Armadas, o Governo e todos os portugueses, refere comunicado do Gabinete do Ministro da Defesa Nacional (MDN).

José Alberto Azeredo Lopes, Ministro da Defesa Nacional, felicita em nome do Governo o contingente português pela distinção recebida por parte do Comandante da Força, devido ao desempenho e aos resultados atingidos na primeira missão operacional em que participou.

A missão que os militares portugueses diariamente desempenham em defesa das populações, da sua proteção física e da estabilização das suas vidas, em prol da paz e do progresso da democracia na República Centro-Africana tem uma importância vital para a estabilidade do continente africano.

A Missão está também a contribuir “decisivamente para a redução dos fluxos de populações deslocadas, tanto em África como na Europa, e para a contenção do terrorismo transnacional”, refere o MDN.

O contingente português destacado para a República Centro-Africana íntegra a missão de paz das Nações Unidas é constituído por 156 militares do Exército, que inclui 111 Comandos e 4 militares da Força Aérea. Portugal tem mais 11 militares na República Centro-Africana ao serviço da missão de treino da União Europeia (EUTM RCA).

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz