Católica no Porto integra projeto europeu “Sexism Free Night”

Iniciativa europeia “Sexism Free Night” pretende combater a violência sexual na noite. Entidades da Alemanha, Espanha, Letónia, Sérvia e de Portugal estão envolvidas no projeto. A Faculdade de Educação e Psicologia, da Universidade Católica no Porto, é uma das entidades.

0
Católica no Porto integra projeto europeu “Sexism Free Night”
Católica no Porto integra projeto europeu “Sexism Free Night”. Foto: DR

Promover a tolerância e a inclusão em ambientes de diversão noturna, no sentido de combater o sexismo e outros tipos de discriminação nestes espaços é o grande objetivo do projeto “Sexism Free Night”, financiado pela União Europeia, no âmbito do Programa EU REC (Rights, Equality and Citizenship). O projeto conta com a participação da Universidade Católica Portuguesa (UCP), no Porto – a única universidade, a nível europeu, inserida no consórcio responsável por dinamizar esta iniciativa.

A UCP divulgou que a primeira fase do projeto acaba de arrancar, com o lançamento de um questionário online. O questionário vai permitir encontrar interceções entre sexismo e violência sexual e entre ambientes de lazer noturno e uso de drogas. O questionário encontra-se disponível em oito línguas: português, inglês, espanhol, francês, alemão, esloveno, língua letã e língua sérvia.

Os dados recolhidos nos vários países europeus envolvidos servirão, posteriormente, para identificar focos de intervenção específicos, no sentido de desnormalizar o sexismo e a violência de género neste tipo de espaços, indicou a UCP.

A partir da informação disponível do questionário, serão desenhadas e implementadas, a nível europeu, atividades em campanhas que promovam a consciência para estas problemáticas. O objetivo passará por captar a atenção do público-alvo do estudo – artistas, profissionais do ócio-noturno e pessoas que saem à noite, em geral – para estas questões, sensibilizando-o para os mais diversos tipos de violência que acontecem neste universo.

A Universidade Católica esclareceu que a violência sexual em ambientes noturnos se assume como um risco específico e que afeta de forma desproporcional mulheres e pessoas LGBTQI+. As evidências sobre este tema são, ainda e infelizmente, escassas, o que atesta a necessidade de se apostar em ações de análise sobre estas questões.

O questionário inclui dinâmicas de lazer noturno que eram comuns antes da pandemia (festivais, bares, discotecas, espaço público e eventos em casas de amigos, entre outros). Integra, também, ações que surgiram em contexto pandémico, como festas ou encontros em casa ou ao ar livre com amigos, fins-de-semana com amigos e conhecidos em parques de campismo, casas de turismo rural ou, ainda, festas clandestinas onde predomina o consumo de álcool ou de outras substâncias e/ou música, dança, entre outros.

Além da Universidade Católica no Porto, representada neste projeto através da Faculdade de Educação e Psicologia, o consórcio é composto pela Associação Kosmicare (Portugal), Health and Community Foundation (Espanha), Clubcommission Berlin (Alemanha), Re Generation (Sérvia), Kanepes Culture Centre (Letónia) e NEWNET.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!