Cerimónias do centenário da Batalha de La Lys

Milhares de portugueses morreram na Primeira Guerra Mundial, em França, tendo a Batalha de La Lys como o maior desastre militar dos portugueses. Passados cem anos são lembrados em cerimónia onde participa Presidente e Primeiro-Ministro.

0
Cerimónias do centenário da Batalha de La Lys
Cerimónias do centenário da Batalha de La Lys

As cerimónias do centésimo aniversário da Batalha de La Lys e de homenagem aos militares portugueses que participaram na Primeira Guerra Mundial levam a França, dias 8 e 9 de abril, o Presidente da República, Primeiro-Ministro e o Ministro e Secretário de Estado da Defesa Nacional.

A evocação do centenário tem início na tarde do dia 8 de abril com o descerramento da placa evocativa do centenário da Batalha de La Lys, na Avenue des Portugais, em Paris, seguindo-se o reavivar da “Chama da Lembrança”, no monumento de homenagem ao Soldado Desconhecido, no Arco do Triunfo.

Na manhã de dia 9 de abril é assinalado o centenário da Batalha de La Lys, no Cemitério Militar Português de Richebourg com uma cerimónia militar de homenagem aos portugueses que perderam a vida na Primeira Guerra Mundial.

Os representantes portugueses visitam a exposição Racines, de Aurore Rouffelaers, “baseada em depoimentos dos descendentes, que dão voz às histórias familiares e procuram assegurar a transmissão destas memórias às gerações futuras”. A manhã termina com o almoço tradicional no pavilhão desportivo de Richebourg.

Na tarde do dia 9 de abril a visita é à Igreja, onde está exposto o Cristo das Trincheiras e um fresco sobre a Batalha de La Lys, onde os representantes de Portugal prestam homenagem aos militares portugueses, em La Couture, com uma cerimónia militar no monumento aos portugueses mortos na Primeira Guerra Mundial.

Na cidade de Arras é agraciada a cidade, onde as tropas portuguesas exerceram, durante maior parte do tempo a sua ação. No Musée des Beaux-arts d’Arras é inaugurada a exposição “Portugal au front: visions d’artistes (1918-2018)”, do único pintor de guerra português presente na frente de Batalha, Sousa Lopes.

O programa das celebrações em França encerra em Lille, com a inauguração de uma exposição alusiva à Primeira Guerra Mundial “Le Portugal et La Grande Guerre”, e com o agraciamento à cidade, cuja libertação contou com divisões portuguesas, as primeiras a entrar na cidade na perseguição final ao inimigo.

Anualmente, reúnem-se em Béthune entidades francesas e portuguesas para prestar homenagem aos combatentes portugueses da Grande Guerra que perderam a vida na Batalha de La Lys, deslocando-se ao Cemitério Militar Português, onde estão sepultados 1861 soldados portugueses, e a La Couture, onde se encontra um monumento em honra aos combatentes portugueses daquela Batalha, do Corpo Expedicionário Português.

Para além do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e dos Membros do Governo estão presentes nas cerimónias do centenário da Batalha de La Lys o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro, o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Manuel Teixeira Rolo, o Chefe do Estado-Maior do Exército, General Frederico Rovisco Duarte, o Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-Almirante Jorge Novo Palma, o Presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-General Chito Rodrigues, e o Presidente da Comissão Coordenadora das Evocações do Centenário da Primeira Grande Guerra, Tenente General Mário Cardoso.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!