Concurso Internacional de Gastronomia de 2020 vai decorrer no Minho

Pela primeira vez Portugal vai acolher o Concurso Internacional de Jovens Chefes. O Minho foi a região escolhida para a realização do evento em 2020, uma escolha em que a variedade e riqueza gastronómica minhota foram fatores decisivos.

0
Concurso Internacional de Gastronomia de 2020 vai decorrer no Minho
Concurso Internacional de Gastronomia de 2020 vai decorrer no Minho. Foto: DR

Portugal vai realizar, em 2020, o concurso internacional European Young Chef Awards (EYCA), e o Minho foi a região europeia escolhida para acolher o concurso que irá reunir os melhores jovens chefes de toda a Europa e especialistas internacionais de gastronomia. O anúncio foi comunicado em Rhodes, na Grécia, pela presidente do International Institute of Gastronomy, Art and Tourism (IGCAT), Diane Dodd.

O concurso incentiva os jovens chefes a apresentar as receitas tradicionais e inovar os pratos das regiões apenas com ingredientes locais de cada país. Cada participante tem que escolher uma receita familiar e usar apenas alimentos locais e saudáveis, apoiando-se em agricultores e produtores locais das suas regiões.

Diane Dodd referiu: “Fazia todo o sentido escolhermos o Minho. Pela sua cultura gastronómica, mas pela sua capacidade de transformação dos últimos anos de adaptar as receitas tradicionais em pratos inovadores”.

Conhecida como a região verde de Portugal, a terra do bacalhau à minhota, das papas de sarrabulho, dos rojões, do cozido à portuguesa e do caldo verde, o Minho apresenta um grande potencial, com uma gastronomia muito própria, onde se usam os produtos endógenos, originários da terra e do mar e que dentro do processo de produção detém características especiais.

“É uma das regiões mais tradicionais da Europa. Ao mesmo tempo, inspira estes jovens chefes a criarem novas interpretações das suas receitas, com os bons produtos, a variedade de vegetais, os animais que têm. Queremos mostrar e celebrar isso. O EYCA será uma oportunidade para manter a cultura minhota viva”, acrescentou Diane Dodd.

Mas a escolha do Minho para a realização do EYCA é fruto de um trabalho da região nos últimos anos. Depois de em 2016 ter ganho o prémio Região Europeia da Gastronomia, a região acolheu o primeiro Congresso Internacional de Gastronomia e Património Cultural em 2018 e tem realizado uma série de eventos para realçar as diferentes culturas e tradições gastronómicas, através da promoção da sustentabilidade e da inovação gastronómica da região.

O concurso internacional irá decorrer no final de 2020, no Minho, e organização será da responsabilidade do Consórcio Minho Inovação – que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave. “É com muito orgulho que vamos receber em 2020 o evento que preserva a gastronomia tradicional europeia. Somos uma região com raízes muito fortes e acho que isso pesou na decisão do IGCAT”, referiu Joana Peixoto do Consórcio Minho Inovação.

A quinta edição do EYCA pretende discutir a importância da herança gastronómica como motor da economia regional, cada vez mais voltada para o turismo sustentável e produção local.“É a primeira vez que o nosso país recebe o evento desta importância. O Minho é sabor, é alma, é rústico, mas com pleno sabor. Queremos mostrar uma região autêntica mas também vanguardista”, acrescentou Rafael Oliveira, um dos membros da organização.

O embaixador oficial do EYCA é o famoso chef Joan Roca, dono do restaurante El Celler de Can Roca com três estrelas Michelin em Girona e na lista do The World’s 50 Best Restaurants.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!