Dia Nacional da Esperança na Assembleia da República

Dia Nacional da Esperança teve parecer positivo da Comissão da Saúde e segue agora para plenário da Assembleia da República. A iniciativa para a criação do Dia Nacional da Esperança surgiu no IPO-Porto e mobilizou cerca de sete mil pessoas.

0
Equipa promotora para o Dia Nacional da Esperança
Equipa promotora para o Dia Nacional da Esperança. Foto: DR

A iniciativa para a criação do Dia Nacional da Esperança surgiu no Porto no Instituto Português de Oncologia (IPO-Porto) e mobilizou cerca de sete mil pessoas. A petição para a implementação do Dia da Esperança em Portugal foi entregue na Assembleia da República.

O projeto obteve já parecer positivo dos Deputados da Comissão da Saúde da Assembleia da República e segue agora para plenário. A Delegação do Dia da Esperança, do IPO-Porto, esteve ontem, dia 13 de março, na Assembleia da República, para explicar o movimento que se gerou em torno do projeto e quais as motivações para a criação do Dia Nacional da Esperança.

Laranja Pontes, Presidente do Conselho de Administração do IPO-Porto, explicou aos deputados que se tratou de “um movimento de literacia para a saúde, bastante focado nos aspetos positivos que celebram a vida”, e acrescentou: “O principal objetivo deste projeto passa por aumentar o conhecimento e a consciência nacional da investigação clínica e por motivar as pessoas a serem participantes ativos no desenvolvimento da ciência médica.”

Para o IPO do Porto, onde nasceu a iniciativa “os ensaios clínicos são uma janela de esperança para o doente com cancro e é por isso que sentimos a necessidade de alterar o paradigma da recetividade da sociedade”, frisou Laranja Pontes.

A equipa de Deputados da Assembleia da República da Comissão da Saúde referiu, em consenso, que “é bastante claro o contributo deste movimento para melhoria dos cuidados de saúde dos doentes com cancro e para a consciencialização da população para o tema. Conseguimos identificar uma perspetiva de futuro no movimento tendo por isso todo o nosso apoio para avançar em plenário.”

A equipa promotora do movimento, que se deslocou à Assembleia da República e pode transmitir os esclarecimentos à Comissão da Saúde, incluiu Laranja Pontes, Presidente do Conselho de Administração do IPO-Porto, José Dinis, Coordenador da Unidade de Ensaios Clínicos, Assunção Tavares, Médica no Serviço de Psico-Oncologia, Susana Duarte, Presidente da A.A.P.C. – Associação de Apoio às Pessoas com Cancro – e Fátima Pinheiro, doente de cancro.

O IPO-Porto tem vindo desde 2015 a celebra, no primeiro dia da primavera, a Esperança, através de uma iniciativa de portas abertas à sociedade, que conta com o apoio da Roche, e na qual participam profissionais de saúde, utentes do hospital, entidades oficiais, figuras públicas e muitos anónimos. Este ano a equipa pretende que a iniciativa decorra em todo o país.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!