Dicas para um Natal seguro em família em tempo de pandemia

A Inokem, startup portuguesa de biotecnologia em soluções químicas e biológicas, dá dicas para viver um Natal mais seguro. A lavagem e desinfeção dos espaços e das superfícies podem ser cruciais. Através de Webinar são dadas ajudas sobre segurança.

0
Dicas para um Natal seguro em família em tempo de pandemia
Dicas para um Natal seguro em família em tempo de pandemia. Foto: DR

O Natal aproxima-se e a pandemia de COVID-19 continua a condicionar a vida em todo o mundo. Assim o Natal irá ser vivido de forma diferente. Mas o mais importante é manter uma vivência de forma segura, cumprimento as várias regras.

Na celebração desta época festiva, muitos dos nossos hábitos afetivos terão de ser alterados e a distância física e o uso de máscara terão de manter-se. A Direção-Geral da Saúde emitiu notas sobre vários cuidados a ter em conta para que haja futuro a seguir ao Natal.

Também a Inokem, uma startup portuguesa, especialista no desenvolvimento de soluções premium de desinfeção, limpeza, higienização pensadas para o bem-estar dos consumidores, e focada na inovação e sustentabilidade com opções eco-friendly, apresenta quatro dicas para que as famílias vivam um Natal mais seguro. A desinfeção e o arejamento de espaços e a lavagem e a desinfeção de mãos com frequência são algumas das ações que todos podem fazer:

1. Lavar as mãos: é importante lavar e desinfetar frequentemente as mãos, uma vez que ao longo do dia tocamos em superfícies e objetos que podem estar contaminadas com o vírus. A utilização de um sabonete líquido desinfetante vai permitir a eliminação da sujidade e, simultaneamente, a desinfeção das mãos.

Já para desinfetar as mãos é importante escolher um desinfetante adequado, geralmente à base de álcool (o indicado é ter o valor mínimo de 70% de álcool), que deve permitir a desinfeção das mãos sem necessidade de enxaguamento.

Outros fatores a considerar são a presença de princípios ativos que garantam uma melhor ação viricida, bactericida, germicida e fungicida; o facto de manter um tempo de contacto mínimo de 20 segundos em toda a superfície das mãos; a garantia de que os ingredientes utilizados são de boa qualidade; e, devido à frequência com que são utilizados, a incorporação de um bom hidratante para proteger a pele da agressividade do álcool.

2. Desinfeção de utensílios: é importante proceder à limpeza, higienização e desinfeção dos vários objetos através de uma solução detergente germicida, bactericida e virucida com bio álcool, uma vez que as gotículas que transmitem o vírus pousam em objetos e nas superfícies.

Assim, os utensílios utilizados e partilhados, como os talheres, pratos, copos, entre outros, devem ser desinfetados, e, preferencialmente, não devem ser partilhados. Cada um deve ter os seus próprios utensílios e evitar o contacto com os objetos que não sejam os seus.

Deve ainda ser realizada a desinfeção de materiais tecnológicos, de brinquedos, de puxadores e de acessórios de casa de banho, aos quais deve ser diretamente aplicada uma solução desinfetante, sendo que, no caso dos brinquedos laváveis, devem ser enxaguados.

3. Desinfeção de espaços comuns: o mesmo deve acontecer para as zonas alimentares, como as bancadas das cozinhas, que são espaços que, geralmente, juntam várias pessoas.

Também os pavimentos e os sanitários devem ser desinfetados frequentemente com desinfetante contra germes, vírus e bactérias, à base de bio álcool. Já o ar dos espaços fechados deve ser desinfetado com um purificador de ar, que elimine bactérias e vírus em suspensão no ar, pulverizando os espaços até que se forme uma ligeira neblina.

Este tratamento descontamina o ar temporariamente, pelo que deve ser repetida a aplicação periodicamente, em função das condições existentes.

4. Roupas e calçado: finalmente, as roupas, os tecidos e o calçado devem ser desinfetados com produto próprio, uma vez que podem, também eles, ser veículos do vírus.

Esta desinfeção deve ser feita em todo o tipo de têxteis que habitualmente existem em nossas casas, tais como: sofás, colchões, tapetes, alcatifas, cortinas, toalhas, acessórios de casa, roupas no geral e calçado.

Utilizando uma solução diretamente nas roupas, tecidos, calçado ou equipamento de proteção individual (EPI) por pulverização manual, que deve ser fina de partículas pequenas, para a abranger a maior área possível, é aconselhável uma aplicação antes de sair de casa ou iniciar determinado tipo de trabalhos profissionais e uma aplicação quando finalizado o trabalho ou ao chegar a casa.

A Inokem aconselha ainda o uso de outra solução como desinfetante diretamente na máquina de lavar roupa ou na lavagem manual da mesma.

Pedro Santos Martins, CEO da Inokem, afirmou: “Nos tempos que vivemos, a segurança é uma prioridade. Sem nunca descurar as regras de etiqueta respiratória e de distanciamento físico, a desinfeção e a higienização dos espaços podem ser decisivos num Natal que deve ser vivido com máxima segurança”.

Para melhor ajudar a população portuguesa a passar um Natal em segurança, a Inokem irá, ainda, ministrar um webinar, no próximo dia 23 de dezembro, pelas 15 horas, sobre as melhores práticas de desinfeção e etiqueta. O webinar é gratuito e pode ser visionado através da página de Facebook da empresa.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!