Doentes asmáticos ou de renite alérgica e o risco da COVID-19

Alergologistas alertam que a asma não controlada pode contribuir para a gravidade do quadro de saúde numa eventual COVID-19. Em caso de crise, os doentes deverão reforçar a sua medicação e não recorrer a serviços de urgência hospitalares.

0
Doentes asmáticos ou de renite alérgica e o risco da COVID-19
Doentes asmáticos ou de renite alérgica e o risco da COVID-19. Foto: © Rosa Pinto

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), em face de várias dúvidas e preocupações manifestadas por vários doentes asmáticos através das redes sociais, esclarece que:

A asma, por si só, não parece ser um fator de risco para contrair a infeção pelo coronavírus nem para ter formas mais graves desta doença. No entanto, a asma que não esteja bem controlada poderá contribuir para uma maior gravidade do quadro que se associe à eventual infeção COVID-19 em asmáticos. As informações sobre o assunto ainda são escassas e, por isso, possam ser imprecisas.

A SPAIC recomenda a todas as pessoas com asma e também a todas as pessoas com rinite alérgica que, para além das medidas preconizadas de higiene e de isolamento social, mantenham uma boa adesão ao tratamento preventivo diário. Os medicamentos devem ser tomados nas doses e à hora recomendada pelo médico alergologista assistente para que se consigam prevenir ao máximo eventuais crises asmáticas.

Em caso de crise, os doentes deverão reforçar a sua medicação de acordo com o plano que o seu alergologista tenha elaborado, procurando não recorrer a serviços de urgência hospitalares a não ser que seja estritamente necessário.

Os doentes asmáticos devem ainda seguir as indicações da Direção-Geral da Saúde e, se tiver qualquer situação que não consiga controlar por si, deverá contactar a linha saúde 24, aguardando pelas indicações sobre como deverá proceder em seguida.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!