Elisabete Jacinto continua a recuperar posições no Morocco Desert Challenge

A quinta etapa do Morocco Desert Challenge, entre Fezzou e Merzouga, correu bem a Elisabete Jacinto ao terminar em oitavo lugar entre os camiões, e assim, passou a sétimo posto da geral na sua classe.

0
Elisabete Jacinto continua a recuperar posições no Morocco Desert Challenge
Elisabete Jacinto continua a recuperar posições no Morocco Desert Challenge. Foto: DR

A piloto Elisabete Jacinto terminou a quinta etapa do Morocco Desert Challenge, entre Fezzou e Merzouga, no oitavo posto entre os camiões. A equipa Bio-Ritmo demorou 5h11m01s a cumprir os 275 quilómetros cronometrados da difícil etapa que incluiu a travessia dos Erg Ouzina e Chebbi.

Nos últimos dois dias os portugueses conseguiram recuperar nove lugares à classificação geral e subindo agora duas posições para se posicionarem no sétimo posto da classificação geral da sua classe onde competem, neste momento, 17 equipas.

A equipa composta pela piloto Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho completou a especial sem problemas de registo, e apenas a 31 minutos do checo Ales Loprais que lidera a classificação geral dos T4 e que hoje foi o terceiro camião mais rápido da prova.

Apesar das dificuldades impostas pelo sector seletivo, Elisabete Jacinto conseguiu ultrapassar todos os obstáculos dando mais uma vez provas da consistência, e no final referiu: “A etapa correu bem mas foi muito trabalhosa e cansativa. Não tivemos grandes percalços porque fizemos tudo com muita calma, no entanto, as passagens de areia são sempre complexas.”

A piloto contou ainda: “No Erg Ouzina, apesar do traçado não apresentar grandes dificuldades, apanhámos um grande susto. Estávamos a sair de uma duna muito alta e o camião fez um voo incrível. Foi uma grande sorte ter parado com as quatro rodas bem assentes no chão porque a determinada altura pensei mesmo que fosse capotar. Mas foi a passagem do Erg Chebbi que nos deu mais dores de cabeça. Foi particularmente difícil porque entrámos nas dunas ao meio dia e não conseguíamos ver nada do terreno. Optámos por andar com calma para não fazer más escolhas e felizmente acabou por correr tudo bem.”

Amanhã cumpre-se a sexta etapa do Morocco Desert Challenge, uma etapa que o último dia nas dunas, mas definitivamente uma das jornadas mais complicadas de todo o rali. Vão ser cumpridos 306 quilómetros ao cronómetro que se iniciam com o cruzamento das dunas mais altas do Erg Chebbi, logo seguido de outra seção de dunas no Erg Znaigui. A partir daqui a paisagem muda e até ao final da especial os pilotos vão encontrar uma mistura de oueds arenosos bem como trilhos rápidos e técnicos.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!