EMA: Sintomas da vacina da AstraZeneca a que deve estar atento

Falta de ar, dor no peito ou estômago, dor de cabeça intensa, visão turva ou manchas avermelhadas ou bolhas de sangue sob a pele, são alguns possíveis sintomas após toma da vacina da AstraZeneca. Agência Europeia de Medicamentos indica para contactar um médico urgente.

0
EMA: Sintomas da vacina da AstraZeneca a que deve estar atento
EMA: Sintomas da vacina da AstraZeneca a que deve estar atento

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) esclareceu que não é possível estabelecer uma relação entre a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca e eventos de tromboembolismo ou a um risco geral aumentado de distúrbios da coagulação do sangue.

No entanto, a vacina, como qualquer outro medicamento, pode ter efeitos secundários, mas nem todas as pessoas os têm. Assim, a EMA recomenda que a pessoa vacinada com a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca deve estar atenta a possíveis sintomas.

A pessoa vacinada deve procurar atendimento médico urgente se tiver sintomas de reação alérgica grave, que pode incluir uma combinação de qualquer um dos seguintes sintomas:

sensação de desmaio ou tontura;

mudanças do seu batimento cardíaco;

falta de ar;

respiração ofegante;

inchaço dos lábios, rosto ou garganta;

urticária ou erupção na pele;

náusea ou vómito;

dor de estômago.

Também deve procurar de imediato um médico caso tenha um dos seguintes sintomas após a vacinação:

dor no peito ou estômago;

inchaço ou frio nos braços ou pernas;

dor de cabeça intensa ou a piorar ou visão turva após a toma da vacina;

hemorragia persistente;

múltiplos e pequenos hematomas, manchas avermelhadas ou arroxeadas ou bolhas de sangue sob a pele.

A EMA também emitiu, sobre a vacina da AstraZeneca, algumas informações destinadas aos profissionais de saúde, referindo que foram relatados casos de trombose e trombocitopenia, alguns apresentando-se como veia mesentérica ou veia cerebral / trombose do seio venoso cerebral. Casos que ocorreram principalmente 14 dias após a vacinação.

A maioria das notificações envolveu mulheres com menos de 55 anos. No entanto a EMA refere que isso pode refletir uma maior exposição de tais indivíduos devido ao direcionamento de populações específicas para campanhas de vacinação em diferentes Estados Membros.

A EMA recomenda que os profissionais de saúde devem estar a alerta para possíveis casos de tromboembolismo, coagulação intravascular disseminada (CID) ou trombose dos seios venosos cerebrais (TSVC) que podem ocorrer nos indivíduos vacinados.

As pessoas vacinadas devem ser avisadas para procurar atendimento médico imediato em caso de sintomas de tromboembolismo e, especialmente, sinais de trombocitopenia e coágulos sanguíneos cerebrais, como hematomas ou hemorragias e cefaleia persistente ou intensa, particularmente 3 dias após a vacinação.

A Agência indica que os seguintes efeitos colaterais podem ocorrer com a toma da vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca:

Muito comum (pode afetar mais de 1 em 10 pessoas)

sensibilidade, dor, calor, comichão ou hematomas no local da administração da injeção;

sensação de cansaço (fadiga) ou indisposição geral;

calafrios ou sensação de febre;

dor de cabeça;

sensação de enjoo (náuseas);

dor nas articulações ou dores musculares.

Comum (pode afetar até 1 em 10 pessoas)

Inchaço ou vermelhidão no local da injeção;

febre (> 38 ° C);

vómito ou diarreia.

Pouco frequentes (podem afetar até 1 em 100 pessoas)

sonolência ou tonturas;

diminuição do apetite;

gânglios linfáticos aumentados;

suor excessivo, comichão na pele ou erupção na pele.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!