Empresas ainda encerradas devido à pandemia recebem mais apoio

Bares e as discotecas veem duplicado o apoio de reforço de liquidez. O apoio do Programa APOIAR tem efeitos retroativos às candidaturas já aprovadas, que no caso de quebras de faturação superiores a 50% pode ir de 20.625 euros a 50.625 euros.

0
Empresas ainda encerradas devido à pandemia recebem mais apoio
Empresas ainda encerradas devido à pandemia recebem mais apoio. Foto: © Rosa Pinto

O Programa APOIAR vai atribuir novos apoios para os bares e as discotecas, o apoio vai depender da quebra de faturação comunicada à Autoridade Tributária, através do sistema e-Fatura.

Este reforço da liquidez duplica o apoio extraordinário já atribuído, correspondente ao valor do incentivo apurado referente ao último trimestre de 2020. Um apoio que tem o objetivo de melhorar as condições de tesouraria das empresas para fazerem face aos compromissos de curto prazo, contribuindo para a sua subsistência durante e após o surto pandémico.

Para as empresas com quebras de faturação entre os 25 e os 50%, o reforço do apoio pode atingir os 13.750 euros para as microempresas e os 33.750 euros para as pequenas, médias e grandes empresas. Caso as quebras tenham sido superiores a 50%, o apoio pode ascender a 20.625 euros ou 50.625 euros, respetivamente.

As alterações agora introduzidas ao Regulamento do Programa APOIAR aplicam-se retroativamente às candidaturas já aprovadas e o ajustamento dos valores a receber será feito de forma automática, depois de confirmadas as condições de acesso.

O Ministério da Economia indica que o Programa APOIAR é um instrumento de apoio à tesouraria das empresas, que atuem em setores particularmente afetados pelas medidas de confinamento, assegurando e preservando a sua liquidez no mercado e a continuidade da sua atividade económica durante e após o surto pandémico, financiado por Fundos da União Europeia.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!