EUA aumenta encomenda de vacinas COVID-19 Pfizer-BioNTech

EUA encomenda mais 100 milhões de doses da vacina COVID-19 Pfizer-BioNTech. As biotecnológicas indicam que durante a vacinação devem estar imediatamente disponíveis meios médicos para o caso de ocorrer uma reação anafilática aguda.

0
EUA aumenta encomenda de vacinas COVID-19 Pfizer-BioNTech
EUA aumenta encomenda de vacinas COVID-19 Pfizer-BioNTech. Foto: DR

A Pfizer e a BioNTech anunciaram hoje, 23 de dezembro, um segundo acordo com o Governo dos EUA para o fornecimento de mais 100 milhões de doses da vacina COVID-19, a partir de instalações de produção nos Estados Unidos. Este acordo eleva o número total de doses a serem entregues aos Estados Unidos para 200 milhões até 31 de julho de 2021. O valor total a pagar pelos Estados Unidos pelos 100 milhões de doses adicionais é de 1,95 mil milhão de dólares.

O segundo acordo prevê que as empresas entreguem pelo menos 70 milhões das doses adicionais até 30 de junho de 2021, e as 30 milhões de doses restantes até 31 de julho de 2021. O Governo dos EUA também ficou com a opção de adquirir até 400 milhões de doses adicionais da vacina Pfizer-BioNTech.

Entretanto a Pfizer e a BioNTech atualizaram as informações sobre segurança da vacina COVID-19, e indicam:

Não administrar a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 a indivíduos com histórico conhecido de reação alérgica grave (por exemplo, anafilaxia) a qualquer componente da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19.

O tratamento médico apropriado usado para controlar as reações alérgicas imediatas deve estar imediatamente disponível no caso de ocorrer uma reação anafilática aguda após a administração da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19.

Pessoas imunocomprometidas, incluindo indivíduos que estão recebendo terapia imunossupressora, podem ter uma resposta imunológica diminuída à vacina Pfizer-BioNTech COVID-19.

A vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 pode não proteger todas as pessoas vacinadas.

Em estudos clínicos, as reações adversas em participantes de 16 anos de idade ou mais incluíram dor no local da injeção em 84,1% dos casos, fadiga em 62,9%, dor de cabeça em 55,1%, dor muscular em 38,3%, calafrios em 31,9%, dor nas articulações em 23,6%, febre em 14,2%, inchaço no local da injeção em 10,5%, vermelhidão no local da injeção em 9,5%, náuseas em 1,1%, mal-estar em 0,5% e linfadenopatia em 0,3%.

Reações alérgicas graves foram relatadas após a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 durante a vacinação em massa fora dos ensaios clínicos. Reações adversas adicionais, algumas das quais podem ser graves, podem tornar-se aparentes com o uso mais difundido da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19.

Os dados disponíveis sobre a vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 administrada a mulheres grávidas são insuficientes para informar os riscos associados à vacina na gravidez.

Não há dados disponíveis para avaliar os efeitos da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 em bebés amamentados ou na produção / excreção de leite.

Não há dados disponíveis sobre a intercambiabilidade da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 com outras vacinas COVID-19 para completar a série de vacinação. Os indivíduos que recebem uma dose da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 devem receber uma segunda dose da vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 para completar a série de vacinação.

Os técnicos de vacinação devem relatar os eventos adversos, nos EUA de acordo com a folha de dados ao VAERS em https://vaers.hhs.gov/reportevent.html. Também nos EUA os relatórios devem incluir as palavras “Pfizer-BioNTech COVID-19 vaccine EUA” na seção de descrição do relatório.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!