Excluir a Huawei das redes 5G europeias prejudicaria recuperação da Europa

Eventual exclusão da Huawei das redes 5G na Europa pode levar a perdas do PIB europeu de 40 mil milhões de euros até 2035. Relatório da Oxford Economics indica, também, que Portugal poderia perder cerca de 63 milhões de euros anuais.

0
Excluir a Huawei das redes 5G europeias prejudicaria recuperação da Europa
Excluir a Huawei das redes 5G europeias prejudicaria recuperação da Europa. Foto: © Rosa Pinto

Os impactos negativos de uma eventual exclusão da Huawei do desenvolvimento das redes europeias de quinta geração (5G) podem chegar a três mil milhões de euros anuais. Esta é a conclusão de um relatório da empresa de estudos de previsão Oxford Economics.

O relatório indica que no caso de exclusão o aumento representaria 19% do custo anual associado aos investimentos de implementação das redes 5G. Portugal teria um aumento de custo anual de cerca de 63 milhões de euros, enquanto na Alemanha o valor poderia ascender aos 479 milhões de euros anuais.

Um atraso na implementação do 5G também potenciaria uma desaceleração da inovação tecnológica e uma redução no crescimento económico. O relatório da Oxford Economics, desenvolvido para a Huawei, estima que o Produto Interno Bruto português pudesse sofrer, em 2035, uma queda na ordem dos 500 milhões de euros e a França uma redução do PIB de cerca 7,3 mil milhões de euros. A nível europeu o relatório estima perdas em 40 mil milhões de euros em 2035, com base em valores de 2020.

Para a Oxford Economics a infraestrutura digital desempenha um papel cada vez mais essencial para alavancar a economia, especialmente durante esta fase de necessária recuperação económica pós-restrições devido à pandemia de COVID-19, e considera:

  • Velocidades de conexão mais rápidas, obtidas com redes 5G, e os potenciais novos recursos desta tecnologia são cruciais para aumentar os níveis de produtividade, que entraram em colapso face às consequências da pandemia.
  • No auge da crise, as redes de telecomunicações mantiveram serviços vitais de saúde, educação e emergência online, assim como deram continuidade ao funcionamento das empresas e conectaram amigos e familiares.
  • A implementação das redes de quinta geração pode estimular a recuperação económica a curto prazo.

Consequências para a Europa

O relatório elaborado pela Oxford Economics indica que a exclusão da Huawei seria dramática para a Europa em termos de perdas económicas líquidas a longo prazo. Na base da conclusão está que a restrição da concorrência geralmente propicia um considerável aumento de preços, e ao impedir um grande participante, como a Huawei, de competir na rede 5G limitaria a concorrência. Também um cenário de restrição resultaria num crescimento tecnológico e inovação mais lentos, menores rendimentos para as famílias e uma recuperação mais lenta da recessão.

Entre várias perspetivas de perdas o relatório aponta que 56 milhões de pessoas veriam adiado o acesso ao 5G até 2023. A perda permanente do PIB é estimada em 40 mil milhões de euros até 2035, decorrente do eventual atraso no lançamento das redes de quinta geração.

Situação para Portugal

Para Portugal o relatório da Oxford Economics estima como consequências, no caso de adoção de restrições à Huawei:

  • um acréscimo de custos na ordem dos 63 milhões de euros por ano, podendo atingir os 95 milhões;
  • um milhão de portugueses não teria acesso a 5G em 2023, podendo ascender a 1,4 milhões de pessoas;
  • redução do PIB estimada em 500 milhões de euros em 2035, podendo alcançar os 1.100 milhões de euros.
Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!