Falsificadores de notas de euros e leu romeno presos em Espanha e Roménia

Notas de euros e de leu romeno falsificadas, no valor de milhões de euros, foram apreendidas em Espanha e na Roménia. Ações policiais nos dois países com o apoio da Europol desmantelaram duas unidades de produção de notas falsas.

0
Falsificadores de notas de euros e leu romeno presos em Espanha e Roménia
Falsificadores de notas de euros e leu romeno presos em Espanha e Roménia. Foto: Europol

Em junho deste ano, a Europol apoiou duas operações que levaram ao desmantelamento de duas unidades gráficas ilegais para falsificação de notas. Uma produzia notas de euros falsos e outra que produzia notas de leu romeno falsos. A Europol e a polícia espanhola moveram uma ação sobre os falsificadores de euros, em Espanha, e a polícia romena uma ação sobre um dos maiores falsificadores de notas em polímero, na Roménia.

Apreensões em Espanha

Em 17 de junho de 2020, ação desencadeada em Espanha levou à prisão de dois principais suspeitos. Durante as buscas domiciliares, a polícia encontrou uma quantidade significativa de equipamento e matéria-prima As apreensões indicam que a unidade ilegal tinha capacidade inicial para imprimir cerca de 300 mil notas de euro falsificadas. A polícia encontrou e apreendeu notas de 20 e de 50 euros.

A investigação descobriu que dois suspeitos, cidadãos colombianos, conhecidos pelas autoridades colombianas por atividades similares, se tinham mudado para a Espanha para estabelecer uma nova linha de produção euros falsos. A cooperação entre as autoridades colombianas e espanholas, apoiada pela Europol, permitiu fazer um monitoramento precoce da atividade criminosa e apreender uma quantia significativa de euros falsificados que poderiam entrar no circuito monetário da União Europeia.

Ação na Roménia

Em 24 de junho de 2020, a polícia romena revistou cinco casas e deteve três suspeitos para interrogatório. Na casa dos principais suspeitos, os investigadores descobriram uma unidade de impressão ilegal. As apreensões feitas incluíram máquinas como impressoras a jato de tinta UV e dispositivos de corte, diferentes ferramentas para falsificação, aproximadamente 400 peças de 100 falsificações de Leu para um valor total de cerca de 8.000 euros, notas e matérias-primas falsas inacabadas.

As falsificações feitas num material polimérico incluíam todos os recursos de segurança detetáveis ​​pelo público, tornando a identificação das falsificações quase impossível para os não especialistas. O início da produção remonta a 2014, quando a primeira nota de polímero de alta qualidade apareceu em circulação na Roménia. Desde então, foram detetadas 17.065 notas falsas, causando um prejuízo financeiro de cerca de 352.500 euros.

A contrafação de moeda pertence ao novo Centro Europeu de Crimes Financeiros e Económicos, criado recentemente na Europol. A Europol, como Gabinete Central da UE para combater a contrafação do euro, fornece todo o apoio possível aos Estados-Membros da UE e aos seus outros parceiros de cooperação para alcançar uma ação mais eficaz no domínio da proteção do euro contra a falsificação.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!