Faltam professores na Europa

Relatório sobre carreiras dos professores na Europa, da Comissão Europeia, conclui que faltam professores na maior parte dos países, e que o interesse pela profissão tem vindo a diminuir e a estrutura da carreira vária de país para país.

0
Faltam professores na Europa
Faltam professores na Europa

A maior parte dos países europeus tem falta de professores, ou espera vir a ter falta no futuro, muitos países estão a planear a longo prazo para gerir a oferta e a procura de professores, conclui o relatório “Carreiras dos professores na Europa”, publicado no dia 22 de fevereiro, pela Comissão Europeia.

Sobre as conclusões do relatório, que apresenta dados provenientes da rede Eurydice, Tibor Navracsics, Comissário responsável pela Educação, Cultura, Juventude e Desporto, referiu: “Os professores são cruciais para o futuro dos nossos filhos. A Europa tem professores de nível mundial, mas o interesse na profissão está a diminuir e a falta de pessoal está atrasar a qualidade da educação.”

O Comissário conclui exortando “os Estados-Membros a investir no ensino, em carreiras atraentes para os melhores candidatos, oferecendo prestígio e oportunidades para o crescimento e o desenvolvimento profissional, desde o ingresso até à reforma.”

Em maio de 2017 a Comissão adotou uma comunicação sobre “Desenvolvimento das escolas e um ensino da excelência para um melhor começo de vida”, propondo ações a nível da UE para apoiar os Estados-Membros nas reformas educativas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!