Fatores que levaram à condenação do ex-polícia Chauvin pela morte de Floyd

Cinco fatores levaram à condenação do ex-polícia Derek Chauvin pela morte de George Floyd, nos EUA. Envolvimento do procurador-geral, testemunhos de polícias e de jovens e velhos, um júri diverso e o vídeo do polícia sobre o pescoço de Floyd.

0
Fatores que levaram à condenação do ex-polícia Chauvin pela morte de Floyd
Fatores que levaram à condenação do ex-polícia Chauvin pela morte de Floyd. Foto: Wikipedia

O ex-polícia de Minneapolis, Derek Chauvin, foi condenado, em 20 de abril, por três acusações de morte de George Floyd. Coletivamente, as pessoas nos EUA deram um suspiro de alívio porque, com muita frequência, a história tem sido a polícia a matar pessoas de cor impunemente, refere Daniel Harawa, especialista em direito da Universidade de Washington, em St. Louis, EUA.

“Acho importante lembrar as circunstâncias extraordinárias que levaram ao veredicto de culpado neste caso”, disse Daniel Harawa.

Daniel Harawa, especialista em direito da Universidade de Washington, em St. Louis, EUA.
Daniel Harawa, especialista em direito da Universidade de Washington, em St. Louis, EUA. Foto: DR

“Inicialmente, o advogado do condado de Hennepin apenas acusou Chauvin de assassinato em terceiro grau e homicídio em segundo grau; a acusação de homicídio em segundo grau só foi incluída depois do procurador-geral ter assumido o caso, a pedido do Governador. Isso certamente não teria acontecido se todo o país não estivesse em ‘pé de guerra’”, refere o especialista.

“Em segundo lugar, a parede azul teve que ruir. Num evento raro, vimos ex-colegas polícias de Derek Chauvin, incluindo o chefe de polícia de Minneapolis, testemunhar contra ele. Em terceiro lugar foram ouvidos jovens e velhos testemunharem sobre como era testemunhar um assassinato.

“Desde que o testemunho começou no julgamento de Chauvin, mais de três pessoas morreram por dia nas mãos das autoridades. Vereditos culpados nunca podem compensar uma vida perdida. Algo deve mudar. Esperançosamente, este veredito é um catalisador.”

“Ouvimos o trauma que eles experimentaram e ainda experimentavam depois de assistir a ver Chauvin matar o Floyd em frente de seus olhos. Em quarto lugar, o júri foi notavelmente diverso tanto racialmente quanto em base de conhecimentos”, disse Daniel Harawa.

Uma situação que é incomum disse Daniel Harawa. Porque no processo comum, as pessoas de cor são desproporcionalmente excluídas do júri.

“Quinto, e mais importante, os jurados – na verdade, pessoas em todo o mundo – puderam ver o que agora foi determinado como um assassinato para eles próprios. O vídeo de quase 10 minutos do joelho de Chauvin cravado no pescoço de Floyd até que Floyd deu seu último suspiro foi reproduzido continuamente, deixando uma marca na mente de todos”, disse Daniel Harawa.

Para Daniel Harawa “isso é o que foi necessário para alcançar a ‘justiça’ neste caso”, se algum destes fatores falta-se o resultado poderia muito bem ter sido diferente. “O assassinato de George Floyd levou a um ajuste de contas nacional. E embora a responsabilização de Chauvin seja certamente um passo na direção certa, ainda há muito trabalho a ser feito. Desde que o testemunho começou no julgamento de Chauvin, mais de três pessoas morreram por dia nas mãos das autoridades. Vereditos culpados nunca podem compensar uma vida perdida. Algo deve mudar. Esperançosamente, este veredito é um catalisador.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!