Grupo mundial de pirataria de filmes online foi desmantelado

Rede criminosa de hackers, que violavam direitos autorais, pirateavam filmes e hospedavam conteúdos digitais, foi desmantelada dia 25 de agosto. Foram desligados 60 servidores e presos vários suspeitos. Havia servidores instalados em Portugal.

0
Grupo mundial de pirataria de filmes online foi desmantelado
Grupo mundial de pirataria de filmes online foi desmantelado. Foto: © Rosa Pinto

Uma suposta rede criminosa de hackers, que violam direitos autorais e que são os principais responsáveis ​​pela pirataria de filmes e hospedagem de conteúdo digital ilegal em todo o mundo, foi desmantelada, em 25 de agosto, numa ação coordenada entre as autoridades dos EUA e de 18 países por todo o mundo, com o apoio da Europol e da Eurojust.

Na operação foram desligados da rede Internet sessenta servidores, na América do Norte, Europa e Ásia e vários suspeitos foram presos.

Conteúdos transmitidos antes de serem lançados

O Sparks Group obteve DVDs e discos Blu-ray com conteúdos não divulgados e comprometeu as proteções de direitos autorais dos discos para reproduzir e enviar o conteúdo publicamente para servidores online. A Europol indicou que o grupo de pirataria, sob investigação desde setembro de 2016, pode ter reproduzido e disseminado com sucesso centenas de filmes e programas de TV antes da data de lançamento na comercialização a retalho, incluindo quase todos os filmes lançados por grandes estúdios de produção nos Estados Unidos. O Sparks Group causou dezenas de milhões de dólares em perdas para os estúdios de produção de filmes, principalmente para o cinema, televisão e indústrias de apoio dos EUA, devido à violação de direitos autorais.

Falsas reivindicações de filmes gratuitos

Para progredir, os membros do Sparks Group fizeram várias declarações falsas e omissões aos distribuidores por grosso. Em muitas ocasiões, alegaram ser revendedores de discos DVD e Blu-ray e prometeram não vender o conteúdo antes da data de lançamento no mercado. Assim que receberam os produtos, os membros do grupo usaram um software especial para quebrar as proteções de direitos autorais e, em seguida, reproduziram e codificaram o conteúdo em alta definição. O conteúdo foi então disseminado e reproduzido em plataformas de streaming, peer-to-peer e redes de torrent das suas plataformas.

Os servidores estavam localizados em todo o mundo no Canadá, República Checa, Dinamarca, França, Alemanha, Letónia, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Roménia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido. Os servidores foram desligados durante a ação e nos dias que a antecederam, com a ajuda de autoridades nacionais desses países. Outras medidas também foram tomadas na Itália, Roménia e Canadá. Um dos membros da suposta rede criminosa foi preso no fim-de-semana em Chipre e outro suspeito foi preso ontem nos Estados Unidos.

Cooperação internacional

Esta operação bem-sucedida foi possível graças à ampla cooperação internacional facilitada pela Europol e pela Eurojust entre as autoridades policiais e judiciais dos países envolvidos. A Europol indicou que intensificou o intercâmbio de informações através dos países participantes e coordenou o dia de ação com a Eurojust que acolheu ontem, 25 de agosto, o centro de coordenação, garantindo a coordenação em tempo real na ação conjunta das autoridades nacionais em todos os países. Uma reunião operacional na Europol e uma reunião de coordenação na Eurojust foram organizadas antes do dia da ação conjunta, facilitando o intercâmbio de informações entre as autoridades policiais e judiciárias e definindo uma estratégia conjunta entre todas as partes envolvidas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!