Lisboa é a Capital Verde Europeia em 2020

Lisboa torna-se na primeira capital do sul da Europa a ser nomeada para Capital Verde Europeia. O prémio reconhece o trabalho da cidade nos domínios da ecologia, eficiência energética, política de resíduos e da sustentabilidade social.

0
Lisboa é a Capital Verde Europeia de 2020
Lisboa é a Capital Verde Europeia de 2020. Foto: Rosa Pinto

Lisboa foi hoje distinguida com o prémio de Capital Verde Europeia 2020. O anúncio foi feito por Karmenu Vella, Comissário Europeu do Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas. Um prémio que é o reconhecimento “do trabalho que Lisboa tem vindo a desenvolver durante a última década no sentido de uma cidade mais verde e amiga das pessoas.”

Com a atribuição do prémio a Lisboa, esta torna-se na primeira capital do Sul da Europa a conquistar a distinção, que geralmente é atribuída às cidades do Norte da Europa, assim, em 2020 é a Capital Verde Europeia.

Todos os anos cerca de 30 a 40 cidades da Europa são cândidas ao prémio. Um distinção que que reconhece “os esforços e os resultados alcançados em áreas como a ecologia, eficiência energética e da política de resíduos ou a sustentabilidade social da cidade – passando por um longo e exigente processo de candidatura e seleção.”

Na análise das candidaturas “o júri valorizou especialmente os esforços para a construção de uma cidade mais amigável das pessoas, com destaque para a pedonalização de amplas zonas da cidade e o forte crescimento das áreas verdes, bem como os avanços conseguidos e os compromissos assumidos em áreas como a eficiência energética e a boa gestão da água.”

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) indicou em comunicado que agradece “a todos os parceiros que trabalham diariamente para a sustentabilidade da cidade”, e “expressa também o seu compromisso de ser um grande embaixador europeu e mundial da causa – que é de todos – da sustentabilidade.”

Para a CML “o prémio de Capital Verde Europeia surge no momento em que, ao mesmo tempo que o efeito das alterações climáticas se torna cada vez mais evidente, a agenda política da sustentabilidade ecológica e social tem vindo a sofrer contestação e retrocessos impensáveis há poucos anos.”

A CML indicou ainda que “a importância da distinção para uma cidade como a nossa, que enfrenta os duros desafios climáticos dos países do sul, aumenta a responsabilidade e o compromisso de Lisboa em colocar as alterações climáticas no centro da agenda política das cidades europeias e dos países de língua oficial portuguesa.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!