Maria Fátima Lucas e projeto INVISIBLE da FCT da NOVA distinguidos com prémios europeus

A empreendedora Maria Fátima Lucas é uma das vencedoras do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras e o projeto INVISIBLE, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, vencedor do Prémio Horizon Impact.

0
Maria Fátima Lucas e projeto INVISIBLE da FCT da NOVA distinguidos com prémios europeus
Maria Fátima Lucas e projeto INVISIBLE da FCT da NOVA distinguidos com prémios europeus. Foto: © UE, 2020

A portuguesa Maria Fátima Lucas, cofundadora e diretora executiva da empresa Zymvol Biomodeling, é uma das vencedoras do Prémio da União Europeia para Mulheres Inovadoras de 2020. O prémio é financiado ao abrigo do Horizonte 2020, o programa de investigação e inovação da União Europeia (UE).

A empresa Zymvol Biomodeling desenvolve, por via informática, enzimas industriais aplicando uma modelização molecular.

O projeto INVISIBLE, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova, é também um dos projetos vencedores da segunda edição do Prémio Horizon Impact. O prémio é dedicado a projetos financiados pela UE que tenham criado um impacto societal em toda a Europa e mais além.

Este projeto desenvolveu o primeiro ecrã transparente, dando origem a uma nova área tecnológica, com inúmeras aplicações numa vasta gama de indústrias. Ser pioneiro europeu neste domínio é um exemplo de liderança científica verdadeiramente global.

Os dois vencedores, que selecionados por um júri de peritos independentes, foram revelados por Mariya Gabriel, comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, no decurso das Jornadas Europeias da Investigação e Inovação.

A Comissária afirmou, a propósito do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras, que “é um enorme privilégio poder reconhecer estas inovadoras excecionais. Hoje, estamos a pôr em destaque mulheres inspiradoras que lideram a introdução no mercado de inovações que vão mudar as nossas vidas. Tenho esperança de que, com este prémio, as nossas vencedoras possam inspirar muitas outras mulheres a criar empresas inovadoras na Europa.”

Sobre o prémio Horizon Impact, Mariya Gabriel referiu: “Os programas europeus de investigação e inovação financiam as melhores ideias para fazer avançar a ciência e gerar conhecimentos, mas também para traduzir esses resultados em benefícios concretos para a sociedade. O prémio Horizon Impact demonstra de que forma a utilização dos resultados da investigação pode ter um impacto em todas as áreas da nossa sociedade. Estou muito feliz por ver tantos exemplos extraordinários de como a investigação e a inovação beneficiam diretamente os cidadãos. De muitas formas diferentes, as suas ideias e produtos alteraram a vida quotidiana das pessoas para melhor”.

Prémio da UE para Mulheres Inovadoras

A criação do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras teve subjacente que embora haja mais mulheres do que homens na Europa, apenas 16 % das empresas em fase de arranque europeias são criadas ou cofundadas por mulheres e apenas 6 % têm equipas fundadoras constituídas unicamente por mulheres. Há estudos que demonstram que um maior número de mulheres líderes e mulheres nos conselhos de administração conduz a uma maior criatividade, a um processo de tomada de decisão mais aberto e a um melhor desempenho das equipas. Mas, o que é mais importante, é que mais dirigentes do sexo feminino significam mais modelos para as meninas e as jovens, o que é crítico se quisermos alcançar a paridade de género na Europa.

A Comissão Europeia lembra que a realização de uma União da Igualdade que promova a igualdade de género em todas as esferas da vida é uma das prioridades. A Comissão está a trabalhar com os Estados-Membros e os países associados ao programa Horizonte 2020 para superar os obstáculos ao empreendedorismo das mulheres e incentivar mais mulheres a criarem as suas próprias empresas.

O Prémio da UE para Mulheres Inovadoras foi lançada pela primeira vez em 2011 e foi criado para aumentar a sensibilização para a necessidade de mais empresárias e criar modelos de referência para as mulheres e as raparigas. O prémio é atribuído anualmente a quatro empresárias talentosas de toda a UE e países associados, que tenham criado uma empresa de sucesso e trazido inovação para o mercado. Três vencedoras recebem 100 000 euros cada, com outro prémio de 50 000 euros atribuído a uma Inovadora em Ascensão, com idade até 35 anos. As vencedoras foram selecionadas por um júri de peritos na sequência de um convite aberto à apresentação de candidaturas. Este ano, foram apresentadas mais de 200 candidaturas e a lista de pré-seleção final incluía 21 mulheres.

Prémio Horizon Impact

O prémio Horizon Impact, lançado em fevereiro deste ano, visa ilustrar os vastos benefícios socioeconómicos do investimento da UE em investigação e inovação e incentivar os beneficiários de projetos a gerir e utilizar da melhor forma os resultados da investigação. O prémio reconhece e recompensa os resultados de projetos mais influentes e com maior impacto no âmbito do Horizonte 2020, o atual programa de investigação e inovação da UE (2013-20) e o seu antecessor, o 7.º Programa-Quadro (7.º PQ, 2007-13).

As Jornadas Europeias da Investigação e da Inovação constituem uma oportunidade para os decisores, a indústria, os meios financeiro e académico e as empresas debaterem e moldarem o futuro panorama da investigação e inovação da UE e debaterem as prioridades estratégicas do Horizonte Europa, o próximo programa de investigação e inovação da UE (2021-27).

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!