Médicos pretendem discussão pública e política sobre doenças raras

Médicos discutem em simpósio a problemática das Doenças Raras e pretendem promover a discussão política e pública dessas doenças. Um dos objetivos é contribuir para uma visão e um sentido critico dos internistas em relação às estratégias do Governo para as Doenças Raras.

0
Médicos pretendem discussão pública e política sobre doenças raras. Foto: DR

Médicos internistas reúnem no Porto, 30 de novembro e 1 de dezembro, no oitavo simpósio organizado pelo Núcleo de Estudos das Doenças Raras (NEDR) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), com debate sobre diagnóstico e terapêuticas para doenças raras.

O simpósio é “dirigido a especialistas de Medicina Interna”, e envolve formação de um dia “em doenças lisosomais de sobrecarga”, e o segundo dia do encontro dedicado a diversas sessões sobre temas desde o diagnóstico até às atuais terapêuticas para as doenças raras”, explicou Luís Brito Avô, coordenador do NEDR.

Uma das sessões, com moderação de Luís Brito Avô e Lèlita Santos, vice-presidente da SPMI, e ainda com a presença de Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde, aborda as estratégias dos Ministérios da Saúde, Educação e Segurança Social, para as doenças raras.

Para João Araújo Correia, presidente da SPMI, “é importante que os internistas consigam ter uma visão ampla e um sentido crítico em relação àquilo que os órgãos governamentais têm feito em prol da melhoria da qualidade de vida das pessoas portadoras de doenças raras”.

O presidente da SPMI acrescentou ainda que a sessão também vai servir “para promover a discussão política e pública sobre o tema, e assim contribuir para a inserção social destes indivíduos que, em certas circunstâncias, são marginalizados pelas suas comunidades e pelas próprias instituições”.

Médicos pretendem discussão pública e política sobre doenças raras
Médicos pretendem discussão pública e política sobre doenças raras
Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!