Ministros da Defesa Ibéricos reuniram em Madrid com NATO e UE na agenda

NATO, Estratégia Global da União Europeia (UE) no âmbito da segurança e defesa, Plano de Ação Europeu de Defesa e a cooperação na Região do Golfo da Guiné foram alguns dos temas que reuniu Ministros da Defesa de Portugal e Espanha em Madrid.

0
1
Partilhas
Ministros da Defesa Ibéricos reuniram em Madrid com NATO e UE na agenda
Ministros da Defesa Ibéricos reuniram em Madrid com NATO e UE na agenda. Foto: © MDN

O Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, reuniu com a homóloga espanhola, María Dolores de Cospedal, em Madrid, no dia 23 de janeiro, para aprofundar as relações bilaterais em matéria de Defesa entre os dois países, indicou o Ministério da Defesa Nacional (MDN) em comunicado.

A complementaridade entre a NATO e a União Europeia (UE), a Estratégia Global da UE no âmbito da segurança e defesa, o Plano de Ação Europeu de Defesa e a cooperação na Região do Golfo da Guiné foram alguns dos temas centrais da primeira reunião de trabalho dos dois ministros.

Portugal e Espanha mantêm uma estreita cooperação ao nível da formação e educação com intercâmbio de alunos dos cursos de Estado-Maior, e em missões no exterior, como a coligação anti-Daesh, na qual Portugal participa com 32 militares destacados na Base espanhola Gran Capitán, em Besmayah, no Iraque.

Existe um interesse mútuo em desenvolver cooperação nas áreas de gestão de crises, de ciberdefesa e de cibersegurança, nomeadamente no que concerne à Escola da NATO que Portugal acolherá em Oeiras.

O MDN refere que o relacionamento bilateral luso-espanhol no âmbito da Defesa Nacional tem vindo a desenvolver-se desde 1977, ano em que foi assinado o Tratado de Amizade e Cooperação entre Portugal e Espanha. A relação foi fortalecida pela assinatura do Protocolo de Cooperação, em 1998, e pela criação do Conselho Luso-Espanhol de Segurança e Defesa.

O MDN esclareceu ainda que em 2012, a Declaração de Intenções Conjunta para o reforço da cooperação bilateral permitiu no âmbito da política de defesa, estreitar e agilizar os contatos regulares entre as respetivas Direções-Gerais de Política de Defesa com o objetivo de trocar pontos de vista, coordenar apoios e conjugar esforços sobre assuntos de interesse comum. Em 2015 os dois países assinaram um Protocolo que se constituiu um verdadeiro Tratado internacional de cooperação no domínio da Defesa.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz