OMS sofre ataques cibernéticos sem precedentes

Organização Mundial da Saúde é alvo de elevado número de ciberataques. Roubo e divulgação de endereços de email, palavras chave, fraudes através de emails direcionando doadores para falsas contas do Fundo de Resposta Solidária COVID-19.

0
OMS sofre ataques cibernéticos sem precedentes
OMS sofre ataques cibernéticos sem precedentes. Foto: © Rosa Pinto

Desde o início da pandemia de COVID-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) registou um aumento dramático no número de ataques cibernéticos direcionados à sua equipa, com roubo de endereços de email, palavras chave, e fraudes através de email direcionados ao público em geral.

Nesta semana, cerca de 450 endereços ativos de email e palavras chave do sistema da OMS foram divulgados on-line, além de milhares de outros endereços de email pertencentes a outros intervenientes que trabalham na resposta ao novo coronavírus.

A OMS indicou que as credenciais divulgadas não colocaram em risco os sistemas da OMS porque os dados não são recentes. No entanto, o ataque bloqueou um sistema mais antigo, usado por os atuais funcionários e por outros aposentados, além de parceiros da OMS.
Em face da situação a OMS indicou que está a migrar os sistemas afetados para um sistema de autenticação mais seguro.

Os atacantes também têm vindo a usar os emails da OMS para direcionar cada vez mais o público em geral, para canalizar doações para um fundo fictício em vez do autêntico Fundo de Resposta Solidária COVID-19. O número de ataques cibernéticos à OMS tem sido mais de cinco vezes superior ao número ocorrido no mesmo período do ano passado.

“Garantir a segurança das informações de saúde dos Estados Membros e a privacidade dos utilizadores que interagem connosco são uma prioridade para a OMS em todos os momentos, mas também particularmente durante a pandemia de COVID-19. Estamos gratos pelos alertas que recebemos dos Estados Membros e do setor privado. Estamos todos juntos nessa luta”, referiu Bernardo Mariano, diretor de informações da OMS.

A OMS indicou que está “a trabalhar com o setor privado para estabelecer sistemas internos mais robustos e para fortalecer medidas de segurança e a dar formação à equipa sobre os riscos de segurança cibernética”.

A OMS pede que o público permaneça vigilante contra emails fraudulentos e recomenda o uso de fontes confiáveis para obter informações factuais sobre a COVID-19 e sobre outros problemas de saúde.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!