Programa Portugal Tech com 100 milhões de euros para startups e PMEs

Parceria entre a Instituição Financeira de Desenvolvimento, e o Fundo Europeu de Investimento disponibiliza 100 milhões de euros para o programa Portugal Tech, com objetivo de investir em venture capital e tech transfer em Portugal.

0
Programa Portugal Tech com 100 milhões de euros para startups e PMEs
Programa Portugal Tech com 100 milhões de euros para startups e PMEs. Foto: Rosa Pinto

A Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD), e o Fundo Europeu de Investimento (FEI) concluíram negociações para o lançamento de um novo programa de investimento. O PORTUGAL TECH é uma combinação de fundos nacionais, provenientes do IAPMEI, e europeus para investir em projetos de transferência tecnológica, em startups e PMEs portuguesas.

O novo programa PORTUGAL TECH, tem ainda como objetivo atrair capital privado e institucional para investimento em empresas de base tecnológica sediadas em Portugal.

A IFD bem como o FEI vão alocar 50 milhões de euros ao programa, em que a componente nacional é assegurada pelo IAPMEI. Além do montante global de 100 milhões de euros, o programa pretende mobilizar entre 40 e 100 milhões adicionais provenientes de investidores privados e institucionais.

O PORTUGAL TECH poderá vir a capitalizar até 70% de fundos de venture capital e tech transfer, desde que estes sejam capazes de levantar os restantes 30% junto de investidores privados e independentes. Para isso o programa vai selecionar equipas portuguesas com experiência na gestão de fundos de capital de risco em que “a estratégia seja não só investir em empresas mas também em projetos desenvolvidos por universidades, centros de investigação, incubadoras e aceleradoras de empresas sediadas em Portugal.”

Passados 10 anos do lançamento do PVCi, o primeiro fundo-de-fundos no segmento de private equity em Portugal, “o FEI observa com otimismo a transformação do ecossistema de capital de risco em Portugal.”

A iniciativa, PORTUGAL TECH, que se insere na estratégia de inovação tecnológica e empresarial para Portugal 2018-2030, “é uma das prioridades do Ministro Adjunto e da Economia (MAE), sendo um importante contributo para o cumprimento do Programa Nacional de Reformas” e “para garantir a convergência de Portugal com a Europa até 2030”, indicou, em comunicado, o Gabinete do MAE.

Pier Luigi Gilibert, Diretor Executivo do FEI, referiu: “O FEI congratula-se com este importante acordo que, aliado ao grande conhecimento da IFD sobre os desafios que o mercado português enfrenta, nos permitirá ajudar a construir um ecossistema mais sólido nas áreas de venture capital e tech transfer em Portugal. O PORTUGAL TECH representa um passo importante enquanto primeira iniciativa conjunta com a IFD ao abrigo da EIF-NPI Equity Platform.”

Para Henrique Cruz, presidente executivo da IFD, “a parceria PORTUGAL TECH vem compensar a quebra do investimento em capital de risco que ocorreu desde 2011, fruto do afastamento dos investidores institucionais nacionais, como os bancos, as seguradoras e os fundos de pensão”.

Henrique Cruz acrescentou: “Diversos operadores de capital de risco manifestaram à IFD a escassez de capital privado de origem nacional disponível para investimento com prazos de retorno mais longos, o designado ‘patient money’. Além disso, este instrumento beneficiará da longa experiência do Fundo Europeu de Investimento na seleção de operadores de capital de risco eficazes, com resultados provados.”

Por sua vez, Nuno Mangas, Presidente do IAPMEI, indicou: “temos assistido a uma nova vaga de projetos de enorme qualidade com origem em PME e Mid Caps. O financiamento de investimentos de venture capital, private equity e private debt, através de coinvestimento com Fundos de Capital de Risco e com a captação de investidores internacionais, institucionais e privados, é fundamental para o Portugal Tecnológico que queremos desenvolver, em setores de ponta mas também tradicionais”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!