Rali Dakar: quarta etapa pôs Pedro Bianchi Prata sobre pressão

Mais de 300 km da etapa de hoje foi percorrida sem pneu suplente e colocou a equipa de Conrad Rautenbach e Pedro Bianchi Prata sobre pressão. A equipa aos comandos de um PH Sport perdeu uma posição na classificação geral descendo para o 7º lugar.

0
Rali Dakar: quarta etapa pôs Pedro Bianchi Prata sobre pressão
Rali Dakar: quarta etapa pôs Pedro Bianchi Prata sobre pressão. Foto: DR

A dupla formada por Conrad Rautenbach e Pedro Bianchi Prata tiveram de percorrer mais de 300 quilómetros para terminar o setor seletivo da quarta etapa do Rali Dakar sem pneu suplente. Uma situação que obrigou a equipa a uma pressão e a baixar o ritmo de andamento. Mas a equipa que disputa a competição SSV aos comandos de um PH Sport apenas perdeu uma posição na classificação geral descendo para o 7º lugar.

“Hoje foi um dia bastante complicado. Ao km 80 tivemos um furo e demos uma pancada forte numa pedra grande que nos empenou uma barra da suspensão de trás. Trocámos o pneu, mas passados cinco quilómetros furámos outra vez e, assim, ao quilómetro 85 estávamos sem pneus suplentes para fazer quase 400 km de especial”, explicou Pedro Bianchi Prata.

O piloto acrescentou: “A etapa foi muito complicada. Fizemos mais de 250km em cima de pedras e trialeiras difíceis e lentas. Tivemos que ter muito cuidado. Na neutralização troquei a barra de direção e tentámos arranjar um remendo para meter num dos pneus que estava furado. Mas, o remendo acabou por não aguentar e só tínhamos os quatro pneus para fazer o resto da especial. Tivemos que ir com muita calma porque sabíamos que se furássemos outra vez podíamos ficar na jante. A especial era mesmo complexa e notou-se que era uma especial seletiva. Via-se muita gente parada pelo caminho. Nós optamos por ter um ritmo de precaução. Ainda paramos para ajudar um motard que estava debaixo da mota e tive que tirar a mota do meio da pista e subir uma duna para o piloto poder descer e arrancar, porque ele estava muito cansado. Depois a noite caiu. Os últimos 25 km foram muito difíceis porque não se via absolutamente nada. Mas, não falhei nada e a navegação foi perfeita. O Dakar ainda está no início e ainda faltam oito etapas e tudo pode acontecer. Não vamos baixar os braços e vamos continuar na luta pelos bons resultados”.

A equipa está já preparada para a quinta etapa do Rali Dakar 2020 que se realiza amanhã, na Arábia Saudita. Uma etapa com um percurso predominantemente dominado pela areia onde as rochas gigantescas servirão como pontos de referência para evitar erros de navegação. Neste dia, que terá 353km cumpridos ao cronómetro, as descidas acentuadas vão obrigar ao uso a técnicas de condução específicas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!