Rede de falsificação de notas de euro desmantelada em Itália

Rede criminosa que produzia 25% de todas as notas falsas de euro em circulação foi desmantelada em Itália. Foram presos 44 suspeitos e congelados bens no valor de 8 milhões de euros. Europol coordenou as ações policiais e deu apoio especializado.

0
Rede de falsificação de notas de euro desmantelada em Itália
Rede de falsificação de notas de euro desmantelada em Itália. Foto: Europol

As autoridades policiais da Itália, Bélgica e França, apoiadas pela Europol, desmantelaram uma rede de crime organizado na falsificação de notas de euros.

Numa ação concertada, em 15 de julho, a polícia italiana e um Unidade Especializada em Antifalsificação de Moeda prenderam 44 suspeitos criminosos e congelaram ativos no valor de 8 milhões de euros em Itália.

Entre os ativos tomadas até o momento durante a operação geral em Itália está o confisco de 50 apartamentos, 8 instalações comerciais, 2 quintas, 10 empresas que operam em vários setores, 12 veículos, 1 barco de luxo e 22 contas bancárias, todos com um valor total estimado de aproximadamente 8 milhões de euros.

Maior rede de falsificação de euros pode ter sido parada

O início do processo começou em outubro de 2017 com a apreensão de notas de 50 euros na província da cidade italiana de Benevento. O exame forense das notas confirmou que as falsificações foram produzidas usando métodos sofisticados de impressão, o que exige alto nível de conhecimento técnico e boa qualidade de máquinas e de matérias-primas.

Os falsificadores imitavam todas as principais características de segurança das verdadeiras notas de euro. Acredita-se que a rede criminosa tenha produzido e distribuído ao longo dos anos mais de três milhões de notas falsas, com um valor nominal total superior a 233 milhões de euros, o que representa um quarto de todas as notas falsas em euros detetadas em circulação desde a introdução do euro. Esta rede pode ser a maior que a polícia fez parar desde que foi lançada a moeda do euro.

A Europol indicou que o cérebro por trás da organização criminosa está envolvido na falsificação de moeda há mais de 20 anos. Este criminoso estabeleceu toda a rede encarregada da produção de euros e de outras moedas falsificadas, mas também organizou a divulgação no mercado europeu. A investigação descobriu ligações à rede criminosa italiana, a Camorra. Outros afiliados criminosos procuraram novos canais de distribuição em Itália e fora de Itália.

Em Nápoles, em fevereiro de 2018, investigações preliminares resultaram na apreensão de quase 450 mil notas falsas de 50 e de 100 euros, com um valor nominal total de 41 milhões de euros, que foram encontrado escondido em barris. Em julho de 2018, foi também desmantelada uma loja ilegal de moedas de 50 centavos de euro, na província italiana da Lombardia. Na altura foram presos quatro suspeitos.

Foram realizadas ações simultâneas coordenadas pela Europol em França e na Bélgica. A Europol apoiou a operação, facilitando o intercâmbio de informações, prestando apoio analítico e coordenando ações de aplicação da lei harmonizadas em diferentes Estados-Membros. Durante a intervenção, a Europol enviou um especialista para a Itália para verificar informações operacionais com as bases de dados da Europol em tempo real e fornecer informação especializada em falsificação de euros, no local.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!