Smartphone pode detetar um AVC

Aplicação para smartphone, desenvolvida por investigadores da Universidade Politécnica de Valência, permite detetar um Acidente Vascular Cerebral e avisar de imediato e de forma autónoma os serviços de saúde.

0
Smartphone pode detetar um AVC
Smartphone pode detetar um AVC. Foto: Rosa Pinto

Investigadores da Universidade Politécnica de Valência (UPV), em Espanha, desenharam uma aplicação para smartphone que permite detetar precocemente Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC) usando os sensores disponíveis nos smartphones.

O programa, que se encontra em fase de teste, analisa a capacidade do utilizador de sorrir, a coerência da fala e os movimentos dos braços. Se duas das três condições não forem consideradas normais, o equipamento envia automaticamente uma mensagem de aviso para os serviços de emergência. Este estudo foi já publicado no International Journal of Information Management.

“Apesar das campanhas de sensibilização realizadas por diferentes entidades, muitas pessoas não conseguem identificar os sinais de um AVC”, explicou Jaime Lloret, investigador do Instituto IGIC do Campus Gandia da UPV. “Os smartphones parecem ser uma boa plataforma para desenvolver aplicações voltadas para a saúde das pessoas, como neste caso, para a deteção precoce de uma patologia que afeta milhares de pessoas” acrescentou o investigador.

Primeiros sinais de um AVC

A aplicação, criada pelos investigadores da UPV, possibilita a deteção de sintomas de AVC nos utilizadores. Para isso, o utilizador deve realizar três tarefas: primeiro, utiliza a câmara do smartphone para detetar o sorriso, quando um AVC ocorre, uma das faces da cara está paralisada, o que impede a pessoa de sorrir devidamente.

Depois de avaliar se o utilizador pode sorrir ou não, a aplicação passa para a segunda tarefa, que faz uso do alto-falante e do microfone do smartphone. “O utilizador é solicitado a repetir uma frase fácil. Se a frase não for dita coerentemente, a aplicação deteta a presença desse sintoma ”, explicou Jaime Lloret.

E em terceiro lugar é testada a capacidade do utilizador levantar os braços. Quando há um AVC é comum não conseguir levantar um braço tão alto como o outro. O acelerómetro do smartphone é usado para verificar este teste.

Após os três testes, a aplicação mostra quais foram os testes que correspondem a uma condição normal e os que não correspondem. Se houver dois ou mais testes que não correspondem à condição normal o smatphone faz automaticamente uma ligação aos serviços de emergência e envia uma mensagem de contacto pré-definida pelo utilizador. O protótipo foi desenvolvido para smatphones com o sistema operativo Android

Registo das informações

A aplicação criada pelos investigadores da UPV regista numa base de dados todas as informações e obtém estatísticas. “Elas podem então vir a ser usadas por instituições públicas, de forma a contribuir para aumentar o conhecimento das instituições sobre os casos de AVC entre a população”, acrescentou Jaime Lloret.

Segundo dados da Sociedade Espanhola de Neurologia, o AVC é a segunda causa de morte mais comum na Espanha e a primeira entre as mulheres, tal como em outros países. E a sua incidência deverá aumentar em 27% nos próximos 25 anos.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!