Suspeito de pertencer ao DAESH preso em Espanha

Guarda Civil espanhola com o apoio da Europol detém, em Madrid, argelino por suspeita de pertencer ao grupo terrorista DAESH. A radicalização do suspeito foi detetada através das redes sociais.

0
Suspeito de pertencer ao DAESH preso em Espanha
Suspeito de pertencer ao DAESH preso em Espanha. Foto: DR

A Guarda Civil espanhola detém um suposto membro do DAESH em Madrid, Espanha. A autoridades espanholas indicam que o individuo detido teve um radicalismo significativo detetado por meio das redes sociais e aplicativos de mensagens, tende recentemente passado a ser considerado um risco.

A operação foi desenvolvida em conjunto com a EUROPOL, tendo a cooperação internacional sido determinante para evitar a perpetração de um eventual ataque, refere comunicado do Guarda Civil espanhola, que refere que agentes do Serviço de Informação da Guarda Civil, com o apoio de várias unidades do Corpo de Exército, prenderam um cidadão argelino em Madrid na quarta-feira, 30 de setembro, por supostas atividades terroristas em conexão com o grupo terrorista DAESH. O suspeito foi presente a autoridade judicial tendo-lhe sido decretada prisão preventiva.

A investigação foi conduzida em conjunto com a EUROPOL. Esta cooperação internacional é considerada pela Guarda Civil espanhola um fator de total importância na luta contra o terrorismo jihadista, onde a alta mobilidade dos terroristas e o uso de redes sociais e aplicativos da Internet condicionam fortemente as investigações policiais. Neste caso, a ação conjunta dos analistas da Guarda Civil e da Organização Internacional permitiu a obtenção de indícios e provas para neutralizar as atividades dos suspeitos.

O argelino consumia constantemente propaganda jihadista pela internet e tinha à disposição manuais operacionais elaborados pelo DAESH voltados para a confeção de artefactos e uso de armas, tendo vindo a mostrar nos últimos tempos uma grande identificação com a Organização terrorista, além de muito interesse por armas e técnicas de combate.

Durante a investigação foi verificada a existência da relação com falsificação de documentos de identidade de diversos países, atividade que poderia ter sido fundamental para facilitar a grande mobilidade internacional do detido nos últimos anos.

Pelas diversas hipóteses policiais inicialmente levantadas, soube-se que a evolução da sua atividade na internet respondeu plenamente à estratégia que o DAESH desenvolve de forma destacada através do seu aparelho de propaganda, tendo conseguido radicalizar e recrutar um grande número de voluntários que, após adquirirem um grande sentimento de pertença ao DAESH, passam a realizar ataques nos países de residência.

Esta tipologia de terrorismo é atualmente um dos maiores desafios para as forças de segurança, dada a grande dificuldade de detetar processos de radicalização precoces que podem levar a um ataque terrorista num curto espaço de tempo. Portanto, a possibilidade de detetar estes casos com suficiente antecedência, bem como obter indícios e provas judiciais suficientes para poder antecipar a perpetração do possível atentado são dois pontos críticos do trabalho diário que as unidades de investigação do Serviço de Informação a Guarda Civil indicam mantêm como missão.

Desde a elevação ao nível 4 do alerta antiterrorista em 26 de junho de 2015, a Guarda Civil espanhola reforçou todos os dispositivos operacionais e linhas de investigação relacionados à ameaça terrorista, especialmente aqueles sobre indivíduos imersos num processo de radicalização que poderia levar ao deslocamento para uma zona de conflito ou a prática de ações terroristas nos países de residência, que atualmente representa uma das principais ameaças aos países ocidentais. Esse reforço se intensificou desde o início da pandemia devido à possibilidade de o DAESH ou outra organização terrorista aproveitar o cenário da saúde como multiplicador dos efeitos de um ataque.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!