Três PME portuguesas ganham apoio do Horizonte 2020

Três empresas portuguesas vão beneficiar de quase 5 milhões de euros do Programa Horizonte 2020, através do Instrumento PME, para o desenvolvimento de projetos inovadores.

0
Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação
Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação. Foto: © DR

As empresas portuguesas, Stra de Coimbra, EQS de Maia e XHOCKWARE de Paranhos, no Porto, viram os seus projetos selecionados para financiamento no âmbito do Instrumento PME, do Programa Comunitário Horizonte 2020.

Carlos Moedas, Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação e responsável do Programa Horizonte 2020, referiu que o Instrumento PME é “a melhor porta de entrada para as PME no Programa Horizonte 2020”, e lembrou que “no espaço de dois anos, este instrumento já financiou cerca de 40 PME portuguesas”.

Das empresas portuguesas agora selecionadas, duas apresentaram projetos na área de produtos baseados em inteligência artificial, articulando as necessidades das empresas e do mercado, enquanto outra apresentou uma plataforma orientada para o consumidor.

A empresa Stra de Coimbra vai ter o seu projeto JAM financiado. Um projeto que consiste na integração de interfaces de análise a veículos comerciais, com o objetivo da redução dos custos associados à manutenção de frotas de veículos, ou seja, manutenção preditiva de veículos através da Inteligência Artificial.

Em Paranhos, no Porto, o projeto YouBeep da empresa XHOCKWARE também foi selecionado pelo Instrumento PME. O YouBeep permite aos utilizadores adquirir produtos em loja, pagar e sair em menos de um minuto, usando uma aplicação de tecnologia móvel, desenvolvendo o sistema de self-checkout através do smartphone.

Na Maia, a empresa EQS-Serviços de Engenharia, Qualidade e Segurança, conseguiu financiamento para o projeto NANO. Neste caso a empresa pretende com o NANO responder à necessidade de redução dos riscos de acidentes na monitorização industrial, através da aplicação de nanotecnologia para o fabrico de um material inovador na monitorização em segurança e a baixo custo, com uma exatidão que suplanta os sistemas existentes.

Para Carlos Medas “estes apoios europeus são fundamentais para ajudar estas PME e start-ups inovadoras a alcançar mais rapidamente uma maior competitividade”, e acrescenta: “Estou certo que estes resultados constituem um desafio para outras PME portuguesas arriscarem e concorrerem a este instrumento que oferece grandes oportunidades que devem ser agarradas”.

O apoio através do Instrumento PME prevê um financiamento de 2,5 milhões de euros para os beneficiários de cada projeto, para a demonstração e realização de testes de mercado de novos produtos. Os proponentes podem igualmente solicitar de forma gratuita até doze dias de orientação empresarial.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!