UE vai receber mais 100 milhões de doses de vacina COVID-19 da Pfizer e BioNTech

União Europeia encomenda mais 100 milhões de doses adicionais de vacina COVID-19 (COMIRNATY) à Pfizer e BioNTech, elevando para 300 milhões as doses destinadas aos 27 Estados-Membros. Todas as doses devem ser entregues em 2020 e 2021.

0
UE vai receber mais 100 milhões de doses de vacina COVID-19 da Pfizer e BioNTech
UE vai receber mais 100 milhões de doses de vacina COVID-19 da Pfizer e BioNTech. Foto: DR

A Pfizer e a BioNTech anunciaram que vão fornecer mais 100 milhões de doses da vacina de COVID-19COMIRNATY, aos 27 Estados-Membros da União Europeia (UE). Este aumento de vacinas é o resultado da decisão da Comissão Europeia em exercer a opção de compra ao abrigo do Acordo de Compra Avançada assinado a 11 de novembro de 2020. Assim, o número total de doses a serem entregues à UE passa para 300 milhões.

“Continuamos empenhados em agir o mais rápido e seguro possível para levar esta vacina a mais pessoas na Europa, visto que o vírus mortal continua a espalhar-se a uma taxa alarmante,” referiu Albert Bourla, Presidente e CEO da Pfizer. “Em parceria com a Comissão Europeia, Estados-Membros e entidades de saúde, seremos capazes de alcançar um total de 150 milhões de europeus em todo o continente.”

“Os 100 milhões de doses adicionais serão entregues em 2021 para apoiar as campanhas de vacinação que começaram há dois dias em todos os 27 estados membros. O nosso objetivo continua a ser levar uma vacina COVID-19 segura e eficaz ao máximo de pessoas que pudermos em todo o mundo”, disse Ugur Sahin, CEO e cofundador da BioNTech.

A vacina COMIRNATY vai ser produzido nas fábricas da BioNTech e da Pfizer na Europa. A distribuição da vacina pelos estados membros da UE continuará a ser determinada de acordo com as populações identificadas na UE e nas orientações nacionais.

Pfizer e a BioNTech dão informações importantes sobre segurança das vacinas:

Foram relatados eventos de anafilaxia. Tratamento médico adequado e supervisão devem estar sempre disponíveis em caso de reação anafilática após a administração da vacina

A eficácia, segurança e imunogenicidade da vacina não foram avaliadas em indivíduos imunocomprometidos, incluindo aqueles que recebem terapia imunossupressora. A eficácia da vacina COMIRNATY pode ser menor em indivíduos imunossuprimidos.

Como acontece com qualquer vacina, a vacinação com COMIRNATY pode não proteger todas pessoas que tomem a vacina. Os indivíduos podem não estar totalmente protegidos até 7 dias após a toma da segunda dose da vacina.

Em estudos clínicos, as reações adversas em participantes de 16 anos de idade ou mais incluíram dor no local da injeção ocorreu em 84,1%, fadiga em 62,9%, dor de cabeça em 55,1%, dor muscular em 38,4%, calafrios em 31,9%, dor nas articulações em 23,6%, febre em 14,2%, inchaço no local da injeção em 10,5%, vermelhidão no local da injeção em 9,5%, náuseas em 1,1%, mal-estar em 0,5% e linfadenopatia em 0,3%.

A experiência com o uso de COMIRNATY em mulheres grávidas é limitada. A administração de COMIRNATY na gravidez só deve ser considerada quando os benefícios potenciais superam quaisquer riscos potenciais para a mãe e o feto.

Não se sabe se COMIRNATY é excretado no leite humano.

Interações com outros medicamentos ou administração concomitante de COMIRNATY com outras vacinas não foi estudado.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!