União Europeia contra ação militar da Turquia no nordeste da Síria

Ação militar da Turquia é condenada pela União Europeia, com a Alta Representante a afirmar que a mesma prejudica ainda mais a estabilidade de toda a região, exacerba o sofrimento dos civis e provoca novos deslocamentos.

0
União Europeia contra ação militar da Turquia no nordeste da Síria
União Europeia contra ação militar da Turquia no nordeste da Síria. Federica Mogherini. Foto: © União Europeia

Face à operação militar turca no nordeste da Síria, a União Europeia (UE) através da Alta Representante, Federica Mogherini, reafirma que uma solução sustentável para o conflito sírio não pode ser alcançada militarmente.

Na declaração a Alta Representante refere “A UE apela à Turquia para que cesse a ação militar unilateral. As novas hostilidades armadas no nordeste do país prejudicam ainda mais a estabilidade de toda a região, exacerbam o sofrimento dos civis e provocam novos deslocamentos. As perspetivas do processo político liderado pela ONU para alcançar a paz na Síria serão mais difíceis”.

Federica Mogherini acrescenta que “a ação unilateral da parte da Turquia ameaça o progresso alcançado pela Coligação Global na derrota de Daesh”, uma ação militar que “minará a segurança dos parceiros locais da Coligação e levará a uma instabilidade prolongada no nordeste da Síria, fornecendo terreno fértil para o ressurgimento de Daesh, que continua sendo uma ameaça significativa à segurança regional, internacional e europeia. A detenção segura de combatentes terroristas é imperativa para impedir que eles se juntem às fileiras de grupos terroristas”.

Para a União Europeia “é improvável que uma chamada “zona segura” no nordeste da Síria, como prevista pela Turquia, satisfaça os critérios internacionais para o retorno de refugiados, conforme estabelecido pelo ACNUR”.

Neste contexto a “UE mantém sua posição de que os refugiados e os deslocados internos que retornam aos seus locais de origem devem ser seguros, serem voluntários e quando as condições permitirem. Qualquer tentativa de mudança demográfica seria inaceitável. A UE não prestará assistência à estabilização ou ao desenvolvimento em áreas onde os direitos das populações locais sejam ignorados”.

Para a EU, o objetivo deve passar por acabar com a violência, derrotar o terrorismo e promover a estabilidade na Síria e em toda a região”, sendo que “as preocupações de segurança da Turquia devem ser tratadas por meios políticos e diplomáticos, não por ações militares, mas de acordo com o Direito Internacional Humanitário”.

“A União Europeia continua comprometida com a unidade, soberania e integridade territorial do estado sírio” afirma a Alta Representante, Federica Mogherini.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!