Vacina Covid-19 da AstraZeneca com restrições no Reino Unido

Reino Unido não vai usar a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca em pessoas abaixo dos 30 anos de idade e em pessoas que já tomaram a primeira dose e manifestaram sintomas de coágulos sanguíneos com número baixo de contagens de plaquetas.

0
Vacina Covid-19 da AstraZeneca com restrições no Reino Unido
Vacina Covid-19 da AstraZeneca com restrições no Reino Unido. Foto: © Rosa Pinto

Em comunicado o Governo do Reino Unido indica que a vacina contra a COVID-19 “AstraZeneca-Oxford é segura, eficaz e já salvou milhares de vidas” e “os benefícios da vacina superam em muito os riscos para a grande maioria dos adultos”.

No entanto, “todos os que já receberam a primeira dose da vacina AstraZeneca devem receber uma segunda dose da mesma marca, independentemente da idade”, exceto “o muito pequeno número de pessoas que apresentaram coágulos sanguíneos com número baixo de contagens de plaquetas desde a primeira vacinação”.

O comunicado refere que o Governo seguirá o conselho da entidade reguladora de medicamentos, “que estabelece que, por precaução, é preferível que as pessoas menores de 30 anos sem problemas de saúde subjacentes recebam uma vacina alternativa sempre que possível, uma vez serem elegíveis”.

O Governo lembra que “todos os medicamentos apresentam risco de efeitos colaterais.”

A decisão do Governo do Reino Unido seguem-se às conclusões da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde ( MHRA ) que indicou que realizou uma revisão completa nos relatórios sobre um tipo específico de coágulo sanguíneo no cérebro muito raro e improvável de ocorrer, conhecido como trombose do seio venoso cerebral ( CVST ), que tem ocorrido ao mesmo tempo com baixos níveis de plaquetas (trombocitopenia) após a vacinação com a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca.

A análise também considerou outros casos de coagulação do sangue (eventos tromboembólicos) que têm ocorrido com baixos níveis de plaquetas.

A Agência indicou que até 31 de março de 2021 inclusive, recebeu 79 notificações do Reino Unido de casos de coagulação sanguínea juntamente com baixos níveis de plaquetas que ocorreram após a toma da vacina COVID-19 da AstraZeneca, especificamente:

44 dos 79 casos eram de CVST com trombocitopenia;

35 dos 79 casos foram de trombose em outras veias importantes com; trombocitopenia

79 casos ocorreram em 51 mulheres e 28 homens, com idades entre 18 e 79 anos. Deve-se notar que foram vacinadas mais mulheres que homens com a vacina da AstraZeneca;

19 pessoas morreram dos 79 casos – 13 mulheres e 6 homens. 11 das 19 pessoas que morreram tinham menos de 50 anos, 3 destas tinham menos de 30 anos. 14 destes 19 casos eram de CVST com trombocitopenia e 5 eram de trombose com trombocitopenia;

Todos os 79 casos ocorreram após a primeira dose da vacina.

A MHRA indicou também que como precaução, a administração da Vacina AstraZeneca em pessoas de qualquer idade com maior risco de coágulos sanguíneos devido à sua condição médica deve ser considerada apenas se os benefícios da proteção contra a infeção por COVID-19 superarem os potenciais riscos.

A gravidez predispõe à trombose, portanto, as mulheres devem discutir com seu médico se os benefícios da vacina superam os riscos aconselha a Agência do Reino Unido.

A MHRA referiu que enquanto continua a investigar estes casos, como medida de precaução, qualquer pessoa que apresentar sintomas quatro dias ou mais após a vacinação é aconselhada a procurar aconselhamento médico imediato, no caso de ter os seguintes sintomas:

um novo início de dor de cabeça grave ou persistente, visão turva, confusão ou convulsões;

desenvolver falta de ar, dor no peito, inchaço nas pernas ou dor abdominal persistente;

hematoma incomum na pele ou pontos redondos localizados além do local da injeção.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!