Vídeo permite sensibilizar crianças para a escoliose

Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral usa vídeo para sensibilizar crianças para a escoliose, mas também para chamar à atenção dos pais e professores. Uma condição de saúde que afeta entre 2 a 3% dos adolescentes, sobretudo do sexo feminino.

0
Vídeo permite sensibilizar crianças para a escoliose
Vídeo permite sensibilizar crianças para a escoliose

A Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral (SPPCV) pretende sensibilizar os alunos das escolas secundárias, espalhadas pelo país, sobre a escoliose, recorrendo vídeo.

“A escoliose é uma deformidade em rotação da coluna vertebral com um ângulo superior a 10 graus que afeta principalmente adolescentes do sexo feminino. Uma condição que se estima afete cerca de 2 a 3% dos adolescentes.

“Os principais sinais de alerta são os ombros e ancas a alturas diferentes, a inclinação do corpo para um dos lados, e uma tumefação nas costas quando as crianças se dobram”, explicou o ortopedista Manuel Tavares de Matos, presidente da SPPCV.

O ortopedista acrescentou: “Com este vídeo pretendemos explicar às crianças o que é a escoliose, mas também queremos alertar os professores e educadores para estarem atentos aos sinais de alerta pois estes desempenham um papel fundamental na deteção da doença”.

Os especialistas indicam que as escolioses com menos de 20-25 graus exigem apenas uma vigilância regular até à conclusão do crescimento da coluna vertebral. Em escolioses com uma curvatura entre os 20-25 e os 40-45 graus em adolescentes que ainda não terminaram o seu crescimento, o uso de um colete pode ser recomendado para impedir o agravamento da curva.

A SPPCV indicou, em comunicado, que “o tratamento deve ser individualizado e deve ter em conta o risco de progressão da deformidade. O exercício e a fisioterapia não reduzem a magnitude da curva ou o risco de progressão, mas essas opções podem ser usadas como terapia coadjuvante para melhorar a postura e fortalecer os músculos.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!