Teletrabalho: Gestos a adotar para proteger os seus olhos

Recurso ao teletrabalho leva um grande número de horas frente aos ecrãs, e por consequência aumentam os problemas de visão. Nuno Negrão Martins descreve, neste seu artigo, alguns dos sintomas e conselhos para diminuir os riscos e proteger a saúde ocular.

0
Nuno Negrão Martins, farmacêutico
Nuno Negrão Martins, farmacêutico. Foto: DR

Em tempos de pandemia, o uso de dispositivos digitais, como computador, televisão, telemóvel e tablet, teve um crescimento significativo devido ao teletrabalho. A COVID-19 colocou milhares de portugueses em casa, as videochamadas passaram a ser mais frequentes, assim como a participação em eventos digitais, que substituíram os presenciais. E tudo isto tornou mais comum a manifestação de sintomas de desconforto ocular e tem levado a um aumento dos problemas que afetam a saúde ocular.

A concentração da visão num ecrã reduz a normal frequência de pestanejar. Abrimos e fechamos os olhos menos vezes, resultando numa diminuição da lubrificação natural do olho. A película lacrimal, produzida pela glândula lacrimal, desempenha um papel fulcral no mecanismo de defesa do olho. Juntamente com as pálpebras e a conjuntiva mantém a sua integridade, protegendo os olhos contra agentes externos e inibindo o desenvolvimento de microrganismos. As alterações ao nível da qualidade e/ou quantidade da película lacrimal podem comprometer a visão, deixando o olho sujeito a agressões externas que provocam irritação e/ ou desconforto ocular. Os principais sintomas de secura ocular são prurido, ardor, fadiga ocular, lacrimejo, vermelhidão e sensação de corpo estranho.

A solução ideal seria uma redução do tempo de utilização dos dispositivos, no entanto com o estilo de vida atual, pode não ser possível. Assim sendo, existem alguns gestos a adotar para proteger a visão e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida:

Piscar os olhos com maior frequência;

Fazer pausas visuais regulares, no mínimo de cinco minutos a cada 45 minutos, para aliviar e descansar os olhos;

Dica: olhe para o ponto mais distante da divisão onde se encontra e mexa os olhos em todas as direções;

Colocar o ecrã a uma distância de, pelo menos, 50 cm dos olhos. A distância entre os olhos e o ecrã é determinante para o bem-estar visual;

Colocar o ecrã numa posição que permita obter uma visão ampla;

O ecrã deve ser colocado de forma perpendicular à luz do dia;

Dica: é aconselhável ter estores nas janelas para poder ajustar o nível de luz natural.

Em muitas situações, quando a prevenção destes sintomas não é suficiente, a Homeopatia é uma das opções mais eficazes para tratar problemas oculares simples, uma vez que não apresenta efeitos secundários prejudiciais. Com esta terapêutica é possível aliviar certos sintomas leves e que podem ser controlados nos seus estádios iniciais, como comichão nos olhos, sensação de ardor e aparecimento súbito de olhos vermelhos e irritados (Belladonna); secura, vermelhidão, comichão e irritação dos olhos e pálpebras (Euphrasia); melhorar a saúde do nervo ótico e a dor de cabeça associada à fadiga intelectual (Kalium phosphoricum) e a saúde e a vitalidade da córnea (Calendula).

Natrum muriaticum, Nux vomica, Staphysagria são ainda alguns medicamentos utilizados para tratar a sensação de corpo estranho, sensibilidade à luz, visão turva e alergias nos olhos.

Caso apresente algum desconforto ou irritação ocular, consulte o seu médico ou farmacêutico e procure soluções adaptadas para o seu alívio e tratamento.

Autor: Nuno Negrão Martins, Farmacêutico

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!