Simulador aumenta Energia fotovoltaica na rede elétrica

Flutuações na produção de energia por parques fotovoltaicos, de uma região climática, podem ser previstos por um simulador desenvolvido por investigadores, em Espanha. Com este sistema mais energia fotovoltaica pode ser colocada na rede elétrica.

0
Parque Fotovoltaico
Parque Fotovoltaico, Foto: © CE

O simulador, que já possui registo de patente, foi desenvolvido por investigadores do Instituto de Energia Solar (IES) da Universidade Politécnica de Madrid (UPM) e da Universidade Pública de Navarra (UPN).

O simulador possui vantagens para os operadores das redes elétricas e vem favorecer o recurso a energias renováveis, neste caso o aproveitamento da energia solar. Com a utilização deste simulador, os investigadores consideram que “a penetração da energia fotovoltaica na rede elétrica europeia pode chegar a 30%, uma percentagem muito maior da que atualmente é possível”.

Os investigadores procederam a testes práticos com o simulador e verificaram que “reproduz fielmente a dinâmica da energia gerada por um conjunto de parques fotovoltaicos dispersos por uma região, usando apenas dados de radiação solar fornecidos por uma única estação meteorológica existente na região”.

O sistema apresenta a caraterística de não necessitar de hardware nem de monitorização dos parques, o que torna a sua “implementação de baixo custo” e de grande vantagem para a gestão das redes elétricas pelos operadores, permitindo colocar mais energia fotovoltaica na rede de forma segura.

“Uma das características da energia elétrica é que esta não pode ser armazenada em grandes quantidades”. Assim, “a produção elétrica pelas centrais deve ser igual ao consumo, de forma precisa e instantânea para que o sistema elétrico funcione corretamente”. No caso dos parques fotovoltaicos, estes produzem energia elétrica de forma intermitente, pois a produção depende das condições meteorológicas que variam frequentemente. A produção intermitente “introduz perturbações à rede, e isto obriga a definir um limite de energia fotovoltaica que pode ser introduzida no sistema elétrico”.

Os investigadores do IES-UPM e da UPN, envolvidos no desenvolvimento do simulador, referem que “o grande desafio é adaptar a contribuição das energias renováveis ​​ao sistema elétrico num equilíbrio entre produção e consumo”. Da resolução desta questão vai depender, em larga medida, o aumento de consumo de energia elétrica, assente em fontes renováveis.

O simulador resulta do projeto PhotoVoltaic Cost reduction, Reliability, Operational performance, Prediction and Simulation, financiado pelo 7º Programa Quadro da Comissão Europeia, que o reconheceu como um caso de sucesso.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!