Mitsubishi Space Star Spicy – CVT

O que tem de novo o Mitsubishi Space Star Spicy que o faz ser uma opção a considerar no seu segmento. Jorge Farromba conduziu-o até Base Aérea da Ota e dá-nos conta, neste seu artigo, de algumas das caraterísticas que a marca colocou neste veículo.

0
Mitsubishi Space Star Spicy - CVT
Mitsubishi Space Star Spicy - CVT. Foto: DR

Quem conhece o mundo automóvel recorda-se ainda do nome Space Star, quando há uns anos, a moda eram os monovolumes e a marca competia no segmento com um modelo com o mesmo nome.

Hoje, a marca manteve o nome mas alterou o conceito e o Space Star é hoje um dois volumes tradicional que racionaliza a oferta da marca, com o Eclipse, ASX, Outlander e a L200.

Era pois interessante compreender o que a marca manteve da geração anterior e o que melhorou. Sim, porque lançar um novo modelo e não ser diferenciador, nos dias de hoje, é um passo para as não-vendas.

Mitsubishi Space Star Spicy - CVT
Mitsubishi Space Star Spicy – CVT. Foto: DR

E, por isso, a marca dotou esteticamente o Space Star de um desenho tradicional e consensual. Com as rodas nos extremos da carroçaria, o modelo não esconde que se pretende imiscuir nas vendas no segmento onde existem propostas idênticas. Os vidros escurecidos, o design tradicional q.b, com um misto de desportivo, torna-o visualmente agradável.

O interior, mantendo a tónica do segmento, possui os plásticos duros mas que demonstram boa qualidade de construção e montagem. A legibilidade e usabilidade dos vários instrumentos perceciona-se e recomenda-se.

Mitsubishi Space Star Spicy - CVT
Mitsubishi Space Star Spicy – CVT. Foto: DR

A posição condução mais alta serve o propósito deste citadino, com bancos ajustados ao segmento e eficazes. Um detalhe para o botão de arranque à esquerda ao melhor estilo… Porsche.

O destaque do modelo vai para o espaço interior principalmente nos bancos traseiros e ao nível das pernas, com amplo espaço interior.

Mitsubishi Space Star Spicy - CVT
Mitsubishi Space Star Spicy – CVT. Foto: DR

No ensaio dinâmico, comportou-se muito bem, com um conforto que assimila as irregularidades do piso e com uma dinâmica que, mesmo na Pista da OTA, em curva ou no teste do alce, revelou que o chassis foi bem desenhado. Mesmo nos momentos em que a chuva se “infiltrou” no ensaio não foi esse aspeto que alterou o rigor do conjunto.

O motor expedito de 80Cv aliado ao baixo peso contribuem para a vivacidade que demonstrou em todo o ensaio.

Mitsubishi Space Star Spicy - CVT
Mitsubishi Space Star Spicy – CVT. Foto: DR

A caixa CVT cumpre o objetivo de descansar o condutor das tarefas árduas de conduzir na cidade de Lisboa, no pára-arranca ou em grandes desníveis.

No ensaio registámos 5.2 litros de média de combustível em condução despreocupada e o preço final do Space Star situa-se entre os 11.750€ com caixa velocidades manual e com caixa CVT e nível mais completo, 14.000€ (promoção de 1.700€)

Agradecimento à Força Aérea Portuguesa pela cedência e facilidades concedidas para utilização da pista da Base Aérea da Ota

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!