Açúcar nos alimentos duplica produção de gordura

Estudo mostra que o consumo de açúcar aumenta a produção de gordura no fígado. Um primeiro passo no desenvolvimento de doenças como fígado gorduroso e diabetes tipo 2. O açúcar leva a peso excessivo, obesidade e a doenças associadas.

0
Açúcar nos alimentos duplica produção de gordura
Açúcar nos alimentos duplica produção de gordura. Foto: © Rosa Pinto

O açúcar é adicionado a muitos alimentos. Um hábito que leva que cada pessoa possa consumir mais de 100 gramas de açúcar todos os dias. O alto teor calórico do açúcar provoca leva a peso excessivo e a obesidade, e a doenças associadas. Mas o excesso de açúcar tem ainda outros efeitos prejudiciais quando é consumido regularmente.

Quantidades moderadas de açúcar aumentam a gordura

Investigadores da Universidade de Zurique (UZH) e do Hospital Universitário de Zurique (USZ) têm vindo a estudar os efeitos prejudiciais do consumo de açúcar. Os investigadores concluíram que mesmo quantidades moderadas de açúcar provocam uma alteração no metabolismo do consumidor.

“Oitenta gramas de açúcar por dia, o equivalente a cerca de 0,8 litros de um refrigerante normal, aumenta a produção de gordura no fígado. E a produção hiperativa de gordura continua por um longo período de tempo, mesmo quando deixa de consumir qualquer açúcar” referiu Philipp Gerber, do Departamento de Endocrinologia, Diabetologia e Nutrição Clínica, da UZH, e líder do estudo.

Noventa e quatro jovens saudáveis ​​participaram do estudo. Todos os dias, e durante um período de sete semanas, os jovens consumiram uma bebida adocicada com diferentes tipos de açúcar, enquanto o grupo controlo não consumia açúcar.

As bebidas continham frutose, glicose ou sacarose (açúcar de mesa, que é uma combinação de frutose e glicose). Os investigadores usaram rastreadores (substâncias marcadas que podem ser rastreadas conforme se movem pelo corpo) para analisar o efeito das bebidas açucaradas no metabolismo lipídico.

Frutose e sacarose duplicam produção de gordura

No geral, os participantes não consumiram mais calorias do que antes do estudo, pois a bebida açucarada aumentou a saciedade e, portanto, reduziram a ingestão de calorias de outras fontes. No entanto, os investigadores observaram que a frutose tem um efeito negativo.

“A produção de gordura do próprio corpo no fígado era duas vezes mais alta no grupo da frutose do que no grupo da glicose ou no grupo de controlo – e isso ainda acontecia mais de doze horas depois a última refeição ou consumo de açúcar “, referiu Philipp Gerber.

Particularmente surpreendente foi que o açúcar que consumimos com mais frequência, a sacarose, aumentou a síntese de gordura um pouco mais do que a mesma quantidade de frutose. Até agora, pensava-se que a frutose era que provavelmente mais causava essas alterações.

Fígado gordo e diabetes

O aumento da produção de gordura no fígado é um primeiro passo significativo no desenvolvimento de doenças comuns, como fígado gordo e diabetes tipo 2.

A Organização Mundial da Saúde recomenda limitar o consumo diário de açúcar a cerca de 50 gramas ou menos, a 25 gramas. Quantidades que estão ainda longe de serem atingidas.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!