Aveiro SteamCity distinguido pela Comissão Europeia

Aveiro, com o projeto SteamCity, está entre as 22 cidades europeias que recebem apoio financeiro no âmbito das ‘Ações Urbanas Inovadoras’ da Comissão Europeia. O projeto envolve a criação de observatório laboral para educação e formação para as tecnologias 5G.

0
Aveiro SteamCity distinguido pela Comissão Europeia
Aveiro SteamCity distinguido pela Comissão Europeia. Foto: Rosa Pinto

O projeto Aveiro SteamCity, no domínio do emprego e competências na economia local, foi distinguido pela Comissão Europeia (CE) no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras. O projeto vai ajudar “a preparar a comunidade local para a nova revolução tecnológica associada à 5G com um observatório laboral para aumentar a resposta educativa e em termos de qualificações.”

A CE vai financiar com 92 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional soluções inovadoras para desafios urbanos como a qualidade do ar, as alterações climáticas, a habitação, o emprego e as competências na economia local.

O 3.º convite para apresentação de propostas, ao abrigo das Ações Urbanas Inovadoras, permitiu a seleção de 22 cidades europeias para serem financiadas para o desenvolvimento dos projetos propostos.

As cidades europeias com financiamento por áreas de ação:

Adaptação às alterações climáticas: Amesterdão, na Holanda; Barcelona, em Espanha, Grande Manchester, no Reino Unido, Riba-roja de Túria e Sevilha, em Espanha e Paris, em França.

Qualidade do ar: Aix-Marseille Provence Metropole, em França; Breda, na Holanda; Helsínquia na Finlândia, Ostrava, na República Checa, e Portici, em Itélia.

Habitação: Bruxelas, na Bélgica; Budapeste, na Hungria; Gante, na Bélgica; Mataró, em Espanha; Área Metropolitana de Lyon, em França.

Empregos e competências na economia local: Aveiro, em Portugal; Cluj-Napoca, na Roménia; Cuenca, em Espanha; Eindhoven na Holanda; Vantaa, na Filandia,E e Ventspils na Letónia.

Em termos de projetos, encontram-se, entre outras, as seguintes soluções:

novas soluções para reduzir o risco de incêndios periurbanos em Riba-roja de Túria, em Espanha;

uma nova geração de sistema de abastecimento de energia com base em baterias de veículos elétricos em Breda, Países Baixos;

recreios de escolas resistentes a ondas de calor em Paris, França; habitação social energeticamente eficiente em Budapeste, Hungria;

orientação profissional inovadora em Ventspils, Letónia.

A Comissão Europeia acaba de lançar o 4.º convite à apresentação de propostas, no âmbito das Ações Urbanas Inovadoras, um convite que decorre até janeiro de 2019.

As verbas disponibilizadas são de 100 milhões de euros para o financiamento de projetos inovadores destinados a proteger e reduzir a vulnerabilidade dos espaços públicos, e projetos digitais, ambientais e de inclusão, tal como tinha sido anunciado no plano de ação de 2017, no âmbito da Agenda Europeia para a Segurança.

Corina Crețu, Comissária responsável pela Política Regional, referiu: “Com estes convites à apresentação de propostas, estamos a transformar as cidades da UE em verdadeiros laboratórios para testar soluções capazes de melhorar a qualidade de vida em todas as cidades do mundo”.

“Na sequência dos trágicos ataques terroristas dos últimos anos, a segurança urbana e a segurança dos espaços públicos passaram a ser uma preocupação fundamental dos cidadãos, motivo pelo qual apoiamos as cidades nos esforços que envidam para proteger os seus habitantes”, concluiu a Comissária.

Ações Urbanas Inovadoras

A iniciativa da Comissão Europeia “Ações Urbanas Inovadoras” que tem como objetivo identificar, testar e divulgar soluções concretas para desafios urbanos comuns, disponibiliza às cidades da UE recursos para financiar projetos inovadores, com uma dotação total de 372 milhões de euros provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, para o período de 2014 a 2020.

No próximo orçamento de longo prazo da UE, as Ações Urbanas Inovadoras vão ser integradas na Iniciativa Urbana Europeia, que é um novo instrumento que conjuga num único programa todos os instrumentos urbanos para a cooperação entre cidades, a inovação e o reforço das capacidades em todas as prioridades temáticas da Agenda Urbana da EU, e envolve a inclusão dos migrantes, habitação, qualidade do ar, pobreza urbana, transição energética, etc.

O novo conjunto único de regras vai facilitar combinações entre fundos, como o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e o Fundo para a Segurança Interna, com o objetivo de desenvolver planos abrangentes de desenvolvimento urbano, abrangendo medidas de segurança nos espaços públicos.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!