Bosch e Daimler testam condução autónoma em Metropolis na Califórnia

Bosch e Daimler, em parceria para a condução autónoma de veículos, estão a fazer testes em Metropolis, na Califórnia. No projeto a empresa norte-americana Nvidia vai fornecer a plataforma para algoritmos de Inteligência artificial.

0
Bosch e Daimler testam condução autónoma em Metropolis na Califórnia
Bosch e Daimler testam condução autónoma em Metropolis na Califórnia.

A Bosch e a Daimler estão acelerar o desenvolvimento da condução autónoma em cidade e pretendem definir decisivamente o rumo da tecnologia de mobilidade de veículos sem condutor. Estas duas empresas em parceria escolheram a Califórnia como local piloto para colocar nas ruas a primeira frota de veículos em teste.

No segundo semestre de 2019, a Bosch e a Daimler vão oferecer aos clientes um serviço de transporte com veículos sem condutor, por percursos selecionados numa cidade californiana. A Daimler Mobility Services é a operadora desta frota de teste e das aplicações do serviço de mobilidade.

O projeto piloto vai demonstrar os serviços de mobilidade, como a partilha de automóveis (car2go), serviço de mytaxi e plataformas multimodais (moovel) que podem ser conectados de forma inteligente para moldar o futuro da mobilidade.

A empresa de tecnologia norte-americana Nvidia vai fornecedor os recursos de plataforma de inteligência artificial como parte da rede de unidades de controlo.

Para o desenvolvimento conjunto de um sistema de condução para veículos totalmente autónomos, sem condutor, a Bosch e a Daimler recorrem à sua larga experiência e saber da indústria automobilista, que têm acumulado ao longo de muitas décadas, para trazer inovações maduras e seguras para o mercado.

Ambas as empresas são guiadas por uma filosofia em que “o fator decisivo é introduzir um sistema seguro, confiável e maduro”, referiu Michael Hafner, Chefe de Condução Autónoma da Daimler AG. “A segurança tem a mais alta prioridade e é o tema constante de todos os aspetos e estágios de desenvolvimento no caminho para o início da produção em série. Em caso de dúvida, a rigor vem antes da velocidade.”

Bosch e Daimler testam condução autónoma em Metropolis na Califórnia
Bosch e Daimler testam condução autónoma em Metropolis na Califórnia

“Desenvolver condução autónoma para um nível próprio para produção em série é como numa competição de decatlo”, indicou Stephan Hönle, vice-presidente sénior da unidade de negócios de condução autónoma da Robert Bosch GmbH. “Não basta ser bom numa ou duas áreas. É necessário dominar todas as disciplinas. Só então conseguiremos levar a condução autónoma às estradas e à cidade com segurança.

Avaliação de dados de sensores em milissegundos

Um fator decisivo para a condução totalmente autónoma, sem motorista, num ambiente urbano é o reconhecimento confiável em torno do veículo com o auxílio de vários sensores.

Analisar e interpretar a variedade de dados recebidos e traduzi-los em comandos de direção num tempo muito curto requer um enorme poder computacional – o veículo totalmente autónomo e sem motorista será um supercomputador móvel.

A condução totalmente autónoma, sem motorista, na cidade, exige uma arquitetura de sistemas versátil e redundante e o mais alto nível de segurança funcional. Para atingir este nível de segurança, as operações computacionais necessárias são realizadas em paralelo em diferentes circuitos. Isso significa que o sistema tem acesso instantâneo a esses resultados de computação paralela quando necessário.

Para o desenvolvimento do sistema de condução, a Bosch e a Daimler contam com uma rede de unidades de controlo constituída por várias unidades de controlo individuais. A empresa americana de tecnologia Nvidia fornece a plataforma necessária para o efeito, capaz de executar os algoritmos de Inteligência Artificial (AI) gerados pela Bosch e Daimler para a mobilidade do veículo.

A rede de unidades de controlo agrupa os dados de todos os sensores, como radar, vídeo, tecnologia de ultrassom e lidar (fusão de dados do sensor), avalia-os em milissegundos e planeia os movimentos do veículo. Assim, a rede da unidade de controlo tem uma capacidade computacional de centenas de triliões de operações por segundo.

Metropolis na Califórnia é uma cidade piloto para veículos autónomos

A rede de unidades de controlo também vai ser usada nos veículos da frota que a Daimler e a Bosch vão colocar nas estradas da Califórnia no segundo semestre de 2019. Os dois parceiros vão oferecer aos habitantes um serviço de transporte de condução autónoma em percursos selecionados numa cidade localizada na Baía de São Francisco, no Vale do Silício.

A operação de teste deverá fornecer informações sobre como veículos de condução autónoma podem ser integrados numa rede de transporte multimodal. Muitas cidades enfrentam inúmeros desafios devido à sobrecarga cada vez maior do sistema de transporte existente. O teste é mostrar como é que a nova tecnologia pode ser uma solução para esses desafios.

Condução sem motorista torna a mobilidade urbana mais atraente

Com a cooperação no desenvolvimento de condução totalmente autónoma, sem motorista, em ambientes urbanos, que começou em abril de 2017, a Bosch e a Daimler têm como objetivo melhorar o fluxo de tráfego nas cidades, aumentar a segurança na estrada e fornecer um importante alicerce para a forma como o tráfego irá funcionar no futuro.

A tecnologia irá, entre outras coisas, impulsionar a atração pela partilha de veículos. Além disso, permitirá que as pessoas façam o melhor uso possível do tempo no veículo e se abram novas oportunidades de mobilidade para pessoas, por exemplo, sem carta de condução.

O veículo chega ao passageiro e não o passageiro ao veículo. Dentro de uma área da cidade, os utilizadores podem tomar um carro de partilha ou um veículo que circula sem motorista. O projeto combina especialmente o conhecimento geral sobre veículos e mobilidade de um dos principais fabricantes de produtos premium do mundo com a experiência em sistemas e hardware de um dos maiores fornecedores do mundo. O objetivo das sinergias é antecipar a apresentação de nova tecnologia totalmente validada.

Colaboradores da Bosch e Daimler partilham o mesmo espaço de escritório

Os colaboradores da Bosch e Daimler trabalham juntos em equipas em duas regiões, na região metropolitana de Stuttgart, na Alemanha, e em torno de Sunnyvale, no Vale do Silício, ao sul de São Francisco, nos EUA. Os trabalhadores de ambas as empresas partilham o mesmo espaço de escritório.

A partilha de instalações de trabalho garante uma comunicação rápida entre as diversas disciplinas e os caminhos de decisão são mais curtos. Ao mesmo tempo, os trabalhadores têm acesso a todo o know-how dos colegas nas empresas-mãe.

Nesta cooperação está em desenvolvimento um conjunto os conceitos e algoritmos para o sistema de operação sem condutor, uma condução totalmente autónoma. A Daimler está a fornecer os veículos e o desenvolvimento necessário, instalações de teste e, posteriormente, os veículos para a frota de teste.

A Bosch é responsável pelos componentes (sensores, atuadores e unidades de controlo) que foram especificados durante o trabalho de desenvolvimento. Para os testes as duas empresas usam os seus laboratórios e as plataformas de teste, além dos respetivos locais de teste em Immendingen e Boxberg.

Desde 2014, que a Mercedes-Benz tem aprovação para testar veículos autónomos na região de Sunnyvale, Califórnia. A empresa também tem idêntica aprovação para a região de Sindelfingen / Böblingen, desde 2016. A Bosch foi o primeiro fornecedor automóvel do mundo a testar a condução autónoma em vias públicas na Alemanha e nos EUA, no início de 2013.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!