COVID-19: Impacto na aviação pode ser de 113 mil milhões de dólares

IATA prevê perda de receitas das companhias aéreas no transporte de passageiros de 113 mil milhões de dólares, em 2020. A mitigação das perdas pode vir da queda do custo do petróleo, de medidas de emergência pelas companhias e do apoio dos Governos.

0
COVID-19: Impacto na aviação pode ser de 113 mil milhões de dólares
COVID-19: Impacto na aviação pode ser de 113 mil milhões de dólares. Foto: © Rosa Pinto

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) atualizou a análise do impacto financeiro na indústria global de transporte aéreo devido à emergência de saúde pública do novo coronavírus. A IATA prevê perdas globais de receita em 2020 para no transporte de passageiros em cerca de 63 mil milhões de dólares, num cenário em que a COVID-19 não evoluísse para mais de 100 casos para além dos existentes a 2 de março, e cerca de 113 mil milhões de dólares num cenário com uma disseminação mais ampla da COVID -19, o que parece ser atualmente o caso.

Os preços das ações das companhias aéreas caíram já quase 25% desde o início do surto, ou seja cerca de 21 pontos percentuais a mais do que o declínio ocorrido durante a crise da SARS de 2003, indicou a IATA.

A IATA indicou que ainda não possui estimativas sobre o impacto da atual emergência de saúde pública do novo coronavírus nas operações de carga, tendo elaborado dois cenários para impacto potencial nas receitas de passageiros.

Cenário 1: propagação limitada

Um cenário inclui mercados com mais de 100 casos confirmados de COVID-19 (a partir de 2 de março) passando por uma forte desaceleração seguida por um perfil de recuperação em forma de V. Também estima quedas na confiança do consumidor em outros mercados, como a América do Norte, Ásia-Pacífico e Europa.

Neste cenário os mercados representados devido ao COVID-19 são os seguintes: China com queda de 23%, Japão com queda de 12%, Singapura com -10%, Coreia do Sul com -14%, Itália com -24%, França e Alemanha com quedas de 10% e o Irão com queda de 16%.

Globalmente, a queda na procura traduz-se numa perda de receita mundial de 11%, equivalente a 63 mil milhões de dólares. A China com cerca de 22 mil milhões de perdas.

Cenário 2: propagação extensiva

Neste cenário a perda é de 19% nas receitas mundiais de passageiros, o que equivale a 113 mil milhões de dólares. Financeiramente, seria equivalente ao que a indústria experimentou na Crise Financeira Global.

Mitigação das pernas

Os preços do petróleo caíram significativamente, cerca de 13 dólares o barril de Brent, desde o início do ano, o que pode reduzir os custos até 28 mil milhões de dólares na conta de combustível de 2020.

“Muitas companhias aéreas estão a reduzir a capacidade e a adotar medidas de emergência para reduzir custos” e “estão a fazer o possível para se manter à tona enquanto executam a tarefa vital de conectar as economias do mundo”, referiu Alexandre de Juniac, diretor-geral e CEO da IATA.

Para Alexandre de Juniac os Governos devem considerar um apoio ao setor de transporte aéreo como isenção de impostos, taxas e custos de slots.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!