COVID-19 pode desencadear recorrentes coágulos sanguíneos

Investigação mostra que a COVID-19 pode desencadear o ressurgimento de coágulos sanguíneos nos membros superiores. O coágulo pode mover-se para o pulmão e ser fatal. Quando houver inchaço persistente, dor e fadiga do braço deve haver uma ida ao médico.

0
COVID-19 pode desencadear recorrentes coágulos sanguíneos
COVID-19 pode desencadear recorrentes coágulos sanguíneos. Foto: © Rosa Pinto

Investigadores da Rutgers Robert Wood Johnson Medical School relatam, pela primeira vez, uma rara recorrência de coágulos sanguíneos potencialmente graves nos braços das pessoas desencadeada pela COVID-19.

A descoberta, já foi publicada na revista “Viruses“, e permite melhorar a compreensão de como a inflamação causada pela COVID-19 pode levar a coágulos sanguíneos nos membros superiores. O estudo de caso é parte de um grande estudo da Rutgers University que envolveu 1.000 pacientes com diagnóstico de COVID-19 hospitalizados e com alta do hospital entre março e maio de 2020.

Os investigadores esclarecem que embora tenha havido relatos de trombose venosa profunda em membros inferiores, após infeção COVID-19, este é o primeiro estudo em que a COVID-19 desencadeou uma recorrência no braço de um homem ativo de 85 anos de idade que tinha um diagnóstico prévio de coágulos sanguíneos.

“O paciente se apresentou ao seu médico de cuidados primários queixas de inchaço no braço esquerdo e foi enviado ao hospital para tratamento adicional, onde foi diagnosticado um coágulo sanguíneo no braço e uma infeção assintomática de COVID-19”, disse Payal Parikh, professor de medicina na Rutgers Robert Wood Johnson Medical School, e que liderou o estudo juntamente com Martin Blaser, diretor do Centro de Biotecnologia Avançada e Medicina e professor da Rutgers Robert Wood Johnson Medical School.

Payal Parikh acrescentou: “Embora os níveis de oxigénio não tenham diminuído, a pessoa foi hospitalizada para o tratamento do coágulo sanguíneo nas veias profundas do membro superior. Frequentemente, os coágulos sanguíneos são precedidos por condições inflamatórias crónicas exacerbadas pela imobilidade e raramente ocorrem em pacientes saudáveis ​​e ativos”.

A maioria dos casos de trombose venosa profunda ocorre nas pernas. Apenas cerca de 10% dos coágulos sanguíneos ocorrem nos braços e, nesses casos, apenas 9% reaparecem.

“Isto é preocupante, pois em 30% destes pacientes, o coágulo sanguíneo pode viajar para o pulmão e ser possivelmente fatal”, disse Payal Parikh. “Outras complicações incapacitantes incluem inchaço persistente, dor e fadiga no braço.”

O estudo sugere que os médicos devem considerar o teste de trombose venosa profunda e COVID-19 em pacientes que apresentam queixas de inchaço inexplicável. Pessoas com teste positivo para COVID-19 devem procurar atendimento médico se apresentarem níveis decrescentes de oxigénio, falta de ar e qualquer inchaço inexplicável.

Payal Parikh alerta que se uma pessoa já tinha sido diagnosticado com trombose venosa profunda ou se tem doença médica crónica que a predispõe a coágulos sanguíneos, então “tem um risco acrescido de vir a sofrer de uma recorrência de um trombo venoso profundo no contexto de uma infeção por COVID-19 e, portanto, deve estar vigilante”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!