Doença renal crónica em debate em Vilamoura

Criar valor para o doente renal crónico e para a sociedade é o objetivo do simpósio organizado pela Associação Nacional de Centros de Diálise. Um debate que deixa de ser na vertente público versus privado, para passar a centrar-se no binómio custo-eficiência.

0
Doença renal crónica em debate em Vilamoura
Doença renal crónica em debate em Vilamoura. Foto: DR

A doença renal crónica carateriza-se pela deterioração lenta e irreversível da função renal e afeta entre 8 a 10% da população adulta. É uma doença com poucos sintomas, a maioria das pessoas com doença renal crónica não sabe que é portadora desta doença, pelo que o diagnóstico precoce nem sempre é feito.

Os doentes com hipertensão arterial, diabetes, obesidade e história familiar de doença renal são populações de risco para o desenvolvimento da doença renal crónica que deve ser ativamente despistada.

O tratamento da doença renal crónica terminal pode ser realizado através de diálise peritoneal, hemodiálise ou transplante, sendo Portugal um dos países europeus com melhor cobertura geográfica no tratamento da doença renal crónica por hemodiálise. Portugal apresenta caraterísticas únicas quando comparado com outros países, em que 9% dos doentes são tratados em unidades hospitalares públicas e 91% em unidades privadas.

A Associação Nacional de Centros de Diálise (ANADIAL) vai promover um simpósio sobre “Value-based Healthcare in Renal Care”, no próximo dia 22 de março, pelas 9 horas, no Encontro Renal, no Centro de Congressos de Vilamoura. O objetivo é permitir uma reflexão e debate sobre a evolução do conhecimento e como criar valor para o doente renal crónico e para a sociedade.

Jaime Tavares, presidente da ANADIAL, referiu: “Com esta iniciativa pretendemos reforçar a nossa qualidade de parceiro dos stakeholders no setor da saúde, demonstrando a nossa abertura para o diálogo e colaboração com doentes, autoridades e profissionais de saúde.”

O presidente da Associação acrescentou: “O setor da saúde depara-se com uma mudança de paradigma, em que a pessoa doente deixa de ser o sujeito passivo da relação terapêutica, para passar a assumir uma posição cada vez mais atuante em todo o seu processo terapêutico. Simultaneamente, a discussão deixa de ter o seu enfoque na vertente público versus privado, para passar a centrar-se no binómio custo-eficiência”.

A ANADIAL é uma associação de empregadores que tem como objetivos a defesa dos legítimos interesses e direitos dos centros de diálise privados; a promoção do respetivo progresso técnico e científico e, a criação de valor para o doente e para a sociedade. Atualmente os centros filiados da ANADIAL empregam cerca de 5 mil colaboradores, em Portugal.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!