Ensino superior retoma atividades presenciais

Atividades letivas e não letivas nas instituições de ensino superior reabrem a partir de 19 de abril de 2021, em todos os concelhos, mesmo os de maior risco. Estão a decorrer testes rápidos de antigénio a toda a comunidade do ensino superior.

0
Ensino superior retoma atividades presenciais
Ensino superior retoma atividades presenciais

A nova fase da estratégia de levantamento de medidas de confinamento para controlo da pandemia de COVID-19 já foi aprovada pelo Governo e inclui a reabertura das atividades letivas e não letivas presenciais nas instituições de ensino superior a partir de 19 de abril de 2021.

Com o levantamento da atual suspensão passam a estar autorizadas todas as deslocações para a realização de atividades nos estabelecimentos de ensino que se encontrem abertos, bem como a sua frequência, para a realização de provas e exames e para o desempenho de atividades profissionais ou equiparadas quando não haja lugar ao teletrabalho.

O Governo esclarece que a reabertura das atividades presenciais em instituições de ensino superior é autorizada em todos os concelhos do país, ainda que o índice de risco possa impedir o levantamento da suspensão em outras atividades.

No entanto, lembra que a reabertura das atividades deve ocorrer com a cautela e precaução exigida pela atual crise pandémica, e neste sentido recomenda que em todas as deslocações realizadas por estudantes, sejam respeitadas as recomendações e ordens determinadas pelas autoridades de saúde e pelas forças e serviços de segurança, designadamente as respeitantes às distâncias a observar entre as pessoas.

A decorrer está o “Programa de testagem CVP – Ensino Superior”, que é articulado entre a Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) e a instituições de ensino superior. O programa garante a realização de testes rápidos de antigénio a todos os docentes, investigadores, trabalhadores não docentes e estudantes que reiniciem atividades presenciais. Os estudantes alojados nas residências devem ser prioritários, por constituírem ambientes mais propícios ao desenvolvimento de focos de contágio.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!