Instituto Camões na ajuda da União Europeia ao Líbano

Voo humanitário da União Europeia leva a Beirute, Líbano, ajuda humanitária que inclui ambulâncias, equipamento de luta contra incêndios, EPI, medicamentos e equipamento de telecomunicações. A carga foi doada pelo Instituto Camões e ONG alemã Orienthelfer.

0
Instituto Camões na ajuda da União Europeia ao Líbano
Instituto Camões na ajuda da União Europeia ao Líbano. Foto: UE

Voo aéreo humanitário da União Europeia (UE) aterrou hoje em Beirute, Líbano, com uma carga de 26 toneladas de ajuda essencial, incluindo ambulâncias, equipamento de luta contra incêndios, equipamento de proteção individual, medicamentos e equipamento de telecomunicações. Uma carga doada pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e pela ONG alemã Orienthelfer.

Janez Lenarčič, comissário europeu responsável pela Gestão de Crises, que seguia a bordo no mesmo voo, deu início a uma visita oficial ao Líbano, onde vai reunir com o primeiro-ministro designado Mustapha Adib e vai supervisionar os esforços de ajuda da UE na sequência das explosões devastadoras que ocorreram na cidade.

O voo que aterrou hoje em Beirute é o terceiro para o Líbano no âmbito da ponte aérea humanitária da UE.

“O povo libanês conta com o pleno apoio da UE. Muitas pessoas continuam a sofrer por causa das explosões e da pandemia de coronavírus. Enquanto aguardamos a recuperação, devemos também proporcionar ajuda essencial às pessoas que perderam os seus lares e precisam de cuidados de saúde de emergência. Será preciso um esforço concertado de reconstrução, sustentado por reformas decisivas, mas de momento estamos a prestar uma ajuda urgente às pessoas cujos meios de subsistência foram destruídos pela explosão”, referiu o Comissário Europeu.

A Comissão Europeia esclareceu que até agora foram entregues ao Líbano 54 toneladas de fornecimentos humanitários, medicamentos e equipamento médico, que chegaram ao país em três voos humanitários. Os voos são organizados e financiados pela UE.

Beirute foi abalado com explosões devastadoras a 4 de agosto, e a situação está a exercer uma pressão adicional sobre o sistema de saúde libanês, que já se encontrava sob forte pressão devido à pandemia de coronavírus.

Imediatamente após as explosões, 20 países europeus propuseram, através do Mecanismo de Proteção Civil da UE, peritos especializados em busca e salvamento com cães de busca e equipamentos de salvamento, equipas de avaliação química e equipas médicas, bem como mais de 1 000 toneladas de equipamento médico, material médico, material de abrigo e produtos alimentares.

O Centro de Coordenação de Resposta de Emergência destacou peritos em matéria de proteção civil e ajuda humanitária para colaborar com as autoridades locais e facilitar a coordenação da resposta da UE. O serviço de emergência de cartografia por satélite Copernicus da União Europeia também foi ativado.

Durante a conferência internacional de doadores, organizada pela França em 9 de agosto, a Comissão Europeia mobilizou mais de 64 milhões de euros para cobrir as necessidades urgentes, o apoio médico e equipamentos, bem como para proteção de infraestruturas críticas. Estes fundos ajudarão também a dar resposta às necessidades humanitárias mais prementes dos habitantes mais vulneráveis de Beirute afetados pelas explosões devastadoras.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!