Luxemburgo faz testes de COVID-19 a pessoas sem sintomas

Luxemburgo lança testes à COVID-19 a indivíduos assintomáticos ou com sintomas leves. O estudo CON-VINCE tem o objetivo que avaliar a dinâmica da propagação do vírus SARS-CoV-2 na população luxemburguesa.

0
Luxemburgo faz testes de COVID-19 a pessoas sem sintomas
Luxemburgo faz testes de COVID-19 a pessoas sem sintomas

No Luxemburgo vão ser submetidas a teste à COVID-19 pessoas assintomáticas. O estudo “CON-VINCE ” é uma das várias iniciativas para ajudar a conter a atual pandemia pelo novo coronavírus. Neste caso vai envolver 1500 pessoas para avaliar a propagação da doença na população.

O estudo vai testar a presença do vírus SARS-CoV-2 em indivíduos assintomáticos e levemente sintomáticos de forma a permitir gerar dados precisos sobre a transmissão da doença e desta forma ajudar a que sejam formuladas políticas baseadas em evidências ao longo das próximas semanas.

Os indivíduos assintomáticos, geralmente chamados de “portadores silenciosos”, e portadores levemente sintomáticos desempenham um papel significativo na propagação do vírus. No entanto, não são conhecidos por não serem avaliados, dado que o teste diagnóstico é realizado predominantemente em pessoas com sintomas claros de COVID-19.

Para implementar medidas eficazes para evitar a infeção de COVID-19, é crucial testar sistematicamente uma amostra representativa da população, a fim de identificar todos os indivíduos portadores do vírus SARS-CoV-2, independentemente de seus sintomas.

O estudo CON-VINCE vai permitir testar e detetar os três principais grupos de pessoas assintomáticas ou levemente sintomáticas, que incluem:

indivíduos “livres de vírus” e, portanto, assintomáticos;

pessoas que estão infetadas no momento, mas apresentam sintomas leves ou inexistentes;

os que foram infetados, mas atualmente estão livres do vírus.

Os participantes no estudo vão testados para o SARS-CoV-2 através de uma técnica específica de biologia molecular. As análises serão inicialmente realizadas com base na colheita de zaragatoas nasais e faríngeas e posteriormente estendidas ao sangue e outros tipos de amostra. Os participantes com teste positivo ao SARS-CoV-2, mas com sintomas leves ou inexistentes, serão acompanhados durante um ano, juntamente com indivíduos livres de vírus. Por outro lado, pacientes sintomáticos serão excluídos do estudo e submetidos a tratamento regular.

“Atualmente, não existem dados abrangentes sobre a epidemiologia e dinâmica da doença. O CON-VINCE visa preencher essa lacuna, fornecendo informações confiáveis ​​sobre a natureza, prevalência e modalidade de transmissão da COVID-19” explicou Rejko Krüger, diretor de Medicina Translacional do Instituto de Saúde do Luxemburgo e coordenador do estudo CON-VINCE.

“Paralelamente, o projeto também vai permitir rastrear o impacto psicológico e socioeconómico das medidas de contenção de longo prazo na população em geral e ajudar a definir prazos mais claros para suspender as atuais estratégias de confinamento”, conclui o Ulf Nehrbass, Chefe Diretor Executivo do Instituto de Saúde do Luxemburgo.

Para Paulette Lenert, ministra da saúde do Luxemburgo, “o estudo CON-VINCE representa o próximo passo lógico dos extensos testes de nossa população para prevenir melhor a propagação do vírus”.

O estudo “CON-VINCE” é liderado por um consórcio de instituições de investigação luxemburguesas, incluindo o Instituto de Saúde do Luxemburgo e o Centro de Biomedicina de Sistemas do Luxemburgo da Universidade do Luxemburgo, e é cofinanciado pelo Fundo Nacional de investigação do Luxemburgo no valor de 1,4 milhões de euros. As empresas de pesquisa de mercado TNS-ILRES, Ketterthill, Laboratoires Réunis e BioneXt Lab são parceiros associados neste estudo.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!